1133284_1440076388_3001133284_1_1440076388_300

Há poucos dias havia comentado que normalmente não fazia resenhas de Split. Bom, isso parece ter mudado, já que, após o excelente Split com as bandas Chaos Synopsis/Terrordome, eis que surge, direto da Alemanha, um novo álbum, desta vez com as bandas Munarheim e Aethernaeum.

O primeiro “lado” da bolacha fica por conta da banda Munarheim, que está na ativa desde 2007 e possui dois full lenght em sua carreira, além de uma série de Eps e este Split em questão. E na verdade trata-se de uma big band, pois são nada mais nada menos que oito integrantes. Tudo o que pede uma banda de Symphonic Folk Metal com algumas nuances de Black Metal.

As quatro faixas da banda são, de certa forma, bem uniformes, e o lado sinfônico do grupo faz um estilo quase épico, tendo uma participação importante na sonoridade deles. Mas é possível pinçar bons momentos, como na ótima faixa de abertura, “Stolzes Wesen Mensch”, que possui boas melodias, enquanto “Leben” possui belos coros e vocalizações, em meio a partes mais acústicas que casaram muito bem. E para encerrar sua parte, a pesada “Ruhelos”, que soa mais agressiva, mas sem perder o lado sinfônico/épico das faixas anteriores.

Nota:3,5/5,0

Já a segunda metade fica por conta do Aethernaeum, banda mais recente (formada em 2013) e cujo Folk/Black Metal tem um lado mais atmosférico bem acentuado, parecendo às vezes uma versão mais pesado do Lacrimosa (impressão essa muito em virtude das músicas serem cantadas na língua alemã).

E dizer que o Aethernaeum ocupa a segunda metade do disco é somente uma maneira de falar, já que dos 57 minutos do disco, a banda é responsável por 40 minutos. 40 minutos bem aproveitados, diga-se de passagem. Principalmente na primeira música deles, “Heimreise”, que possui riffs empolgantes de guitarra, principalmente no refrão, e durante seus 11 minutos de duração lança mão de todos os predicados que o estilo exige. “Die Stimme der Wildnis” é mais pesada, com vocais rasgados como manda a cartilha do Black, mas sem esquecer a melodia. E “Auf den Nebelfeldern” também é arrastada, com boas variações durante sua execução, indo do Black para o atmosférico com naturalidade. O único senão aqui seria a gravação, que ficou um pouco abafada, mas nada que tire a sensação de um trabalho bem realizado

Nota: 4,0/5,0

O saldo final deste Split é até surpreendente, pois as músicas escolhidas pelas bandas são de alto nível e a gravação em geral contribui para o bom resultado final. Uma boa maneira de conhecer novos artistas que demonstram potencial para alçar vôos maiores…

Nota:7,5

8 Faixas – 57:08

Tracklist:

1. Munarheim Stolzes Wesen Mensch 4:14
2. Munarheim Leben 4:10
3. Munarheim Liberté 4:08
4. Munarheim Ruhelos 5:01
5. Aethernaeum Heimreise 11:39
6. Aethernaeum Die Stimme Der Wildnis (Edit) 7:05
7. Aethernaeum Auf Den Nebelfeldern 11:42
8. Aethernaeum Transzendenz 9:09