1000143_485543881531230_697403703_n

Este “Born from the Ashes” foi o primeiro lançamento da banda paulista Jugger, onde os mesmos já mostraram do que são capazes, mesmo num EP composto de cinco músicas.

As influências do Progressive Metal são evidentes durante toda a audição do disco, mas não se prendem unicamente a este estilo, pois aqui também encontramos o Heavy Metal clássico e até algumas pitadas mais modernas, contrastando um pouco com a gravação um pouco mais suja de “Born from the Ashes”.

“Rise” é o inicio de tudo, uma intro simples guiada pelo teclado que, se não traz nenhuma novidade, também não faz feio e é um bom prelúdio para “Dark Angel”, essa sim o verdadeiro inicio do EP, uma faixa mais pesada com andamentos quebrados que fazem a festa de quem curte Symphony X e afins. Sensação que permanece em “Blessed Garden”, apesar de algumas influências mais alternativas são perceptíveis durante sua execução. “Purgatory” é mais tranqüila, quase com um ar de balada Heavy, e possui belas melodias de guitarra. E “Nothing at All” põe um ponto final a tudo da melhor forma possível, uma música com uma carga dramática acentuada, inclusive com alguns momentos de System of a Down no refrão.

Estou curioso para conferir os próximos passos da Jugger, visto que já se vão três anos deste EP. Qualidade os músicos tem que sobra e já demonstraram isso, falta dar continuidade em uma carreira que iniciou promissora, e não pode morrer como já vimos com tantas outras bandas nacionais…

 

Nota: 8,0

Formação:

Lucas Povinha – Vocal
Rafael Savone – Guitarra
Lucas Cardoso – Teclado
Eduardo Crescenzi – Contrabaixo
Lucas Prado – Bateria
5 Faixas –  32:41

 

Tracklist:

1 – Rise
2 – Dark Angel
3 – Blessed Garden
4 – Purgatory
5 – Nothing At All