(1)

 

Se você nunca ouviu falar dessa banda finlandesa, pelo nome dela talvez pudesse pensar tratar-se de uma banda de Folk Metal. Mas, apesar da palavra não estar exatamente errada, ao vermos as fotos dos integrantes e os títulos das músicas, ficamos com a certeza que a viagem vai muito além disso.

A verdade é que o Hexvessel bebe diretamente da fonte do Rock anos 60 e 70, no sentido mais psicodélico e levemente progressivo possível, e é daí que surge a aura mais Folk Rock deles. E da-lhe influência de bandas como The Doors, Deep Purple dos primeiros anos, Jethro Tull, King Crimson e o próprio Pink Floyd em seu período mais psicodélico. E, diferente de algumas bandas atuais que tentam resgatar sonoridades antigas, o sexteto finlandês realmente parece ter surgido daquela época, tal a fidelidade e qualidade de sua sonoridade.

E “When We are Death” começa com a empolgante “Transparent Eyeball”, que possui uma levada bem legal e bons duetos de guitarra e teclado, além de um refrão marcante e mudanças de ritmo muito interessantes. Músicas como “Earth Over Us”, por exemplo, é puro The Doors, uma viagem sem escalas ao final dos anos 60. “Cosmic Truth” é daquelas para ouvirmos a noite olhando para as estrelas e assim pensando na imensidão acima. “When I’m Dead” é uma grande miscelânea de sonoridades típicas das épocas citadas, sendo uma boa surpresa do álbum. Existem aquelas músicas que podem ser consideradas uma espécie de balada, apesar do estilo mais viajante das mesmas como, por exemplo, “Mirror Boy” e “Green Gold”, ambas contando com um belo trabalho vocal de Mat McNerney. “Drugged Up on the Universe” tem um clima mais tétrico, com um quê de Pink Floyd/King Crimson, enquanto “Mushroom Spirits Doors” tem aquele ar do Deep Purple anterior a entrada de Ian Gillan e boas melodias. E tudo termina com “Hunter’s Prayer”, que possui uma carga mais dramática durante toda sua execução.

Se sua praia for uma som de difícil definição, mais “viajão” mesmo, pode ir atrás de “When We are Death” sem pensar duas vezes, pois não irá se arrepender. E no caso do Hexvessel, plagiando uma expressão bem batida, recordar é viver…

 

Nota: 8,5

 

Formação:

Mat McNerney – Vocal & guitarra

Jukka Rämänen – Bateria

Simo Kuosmanen – Guitarra solo

Niini Rossi – Baixo

Kimmo Helén – Teclados, trompete & violino.

Marja Konttinen – backing vocals & percussão

 

10 faixas – 43:34

 

Tracklist:

  1. Transparent Eyeball
  2. Earth Over Us
  3. Cosmic Truth
  4. When I’m Dead
  5. Mirror Boy
  6. Drugged Up On The Universe
  7. Teeth Of The Mountain
  8. Green Gold
  9. Mushroom Spirit Doors
  10. Hunter’s Prayer

(3)