Foto Fire Shadow 2014

 

Existe uma infinidade de estilos musicais, e dentro do Metal novos gêneros são criados a todo instante, muitas vezes confundindo o próprio ouvinte. Nesse cenário, é ótimo conhecer e ouvir uma banda como o Fire Shadow, que apresenta o bom e velho Heavy Metal tradicional. Nessa entrevista, o vocalista Marco Lacerda fala mais sobre a banda, o novo EP “Phoenix” e o cenário musical em si. Confiram e, sem pensar duas vezes, procurem ouvir o que a banda paranaense tem a oferecer…

 

 

Vicente – Após mais de uma década de existência, qual a avaliação que fazem da trajetória do Fire Shadow?

 

Marco Lacerda – Olá, primeiramente obrigado pelo espaço! Então, essa trajetória de uma década foi cheia de altos e baixos, bons e maus momentos e principalmente: muito aprendizado e amadurecimento.

 

Vicente – Vocês lançaram este ano o EP “Phoenix”. Como foi a gravação do mesmo? O resultado final foi satisfatório?

 

Marco – Na verdade a gravação ocorreu em 2013, e o lançamento agora em 2014. Ficamos sim muitos satisfeitos com o resultado, valeu a pena todo o esforço e investimento na produção.

 

Vicente – E o retorno dos fãs e da mídia especializada, tem sido a esperada por vocês?

 

Marco – Temos tido um excelente retorno da mídia e dos fãs, aos poucos parece que tudo está acontecendo como havíamos planejado.

 

1456110_621954901184238_814446298_n

 

Vicente – Vamos falar sobre o processo de composição de cada uma das músicas do EP, começando por “Scars”:

 

Marco – Scars foi uma pancada que surgiu com os Riffs do Francisco Kozel. Ele nos mostrou as ideias e eu instantaneamente tive as ideias de letra e linha vocal. Logo em seguida surgiram as outras partes instrumentais, foi um processo coletivo muito interessante.

 

Vicente – Seguindo para a ótima “Inner Battle”:

Marco – Essa música foi composta em um momento bastante difícil de minha vida, em que estava resolvendo algumas questões pessoais e tomando as rédeas de minha própria existência. Em uma tarde escrevi e compus as melodias e Riffs, assim como a letra, todas transbordando emoções. Levei a estrutura mais ou menos encaminhada para o restante da banda e eles a completaram com suas ideias, resultando no que vocês podem ouvir no E.P.

 

Vicente – Depois vem a minha favorita “Phoenix”:

 

Marco – Phoenix, foi uma música na qual tentamos retratar uma trajetória de vida, queríamos uma música que retratasse todos os altos e baixos da existência de qualquer sujeito. Pensando nisso escrevi a letra e fiz os riffs. Logo depois, a exemplo do que aconteceu com Scars e Inner Battle levei as ideias para a banda e eles concluíram de maneira fantástica.

 

Vicente – “From Darkness”:

 

Marco – Essa música foi composta em conjunto no ano de 2011 ainda, depois teve algumas mudanças nos arranjos e letra até resultar no que pode ser ouvido no EP.

 

Vicente – E terminando com a poderosa “Unbreakable”:

 

Marco – Unbreakable também é uma música mais antiga composta em conjunto pelo grupo e escrita por mim. Tínhamos a intenção de que ela fosse bastante direta e pesada. Acredito que conseguimos passar isso e encaixá-la no contexto do disco como um todo.

 

Foto Fire Shadow 2014 C ALTA

 

Vicente – E os futuros planos do Fire Shadow?

 

Marco – Olha, temos alguns planos em mente para o nosso futuro, mas por enquanto ainda estamos muito focados na divulgação de nosso EP. Já temos alguns shows importantes marcados para continuar mostrando o material para cada vez mais gente. Quando as coisas derem uma acalmada pensaremos nos próximos passos.

 

Vicente – Como avaliam o cenário para as bandas nacionais nesse momento? Há mais espaço para divulgação e realização de shows, ou não houve nenhuma mudança substancial nesse sentido?

 

Marco – Olha, o cenário brasileiro é muito forte e tem muitas bandas de altíssimo nível, assim como um publico fiel.

Infelizmente passamos por uma crise no que diz respeito a musica autoral. Poucas casas abrem espaço para as bandas mostrarem o seu som próprio e vemos pouco interesse do publico para que isso mude, o que dificulta ainda mais, já que o empresário faz aquilo que a demanda exige.

 

Vicente – Em poucas palavras, o que acham das seguintes bandas:

 

Iron Maiden: Nossa maior influencia.

Judas Priest: Um ícone do heavy metal, sempre uma inspiração.

Grave Digger: Tivemos a honra de conhecê-los e tocar com eles. Fantástica Banda.

André Matos: Inspirador, um dos melhores vocalistas do planeta e orgulho nacional.

Saxon: Outro gigante do Heavy Metal nos influenciou e continua influenciando muito.

 

Vicente – Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Fire Shadow e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Metal nacional.

Marco – Primeiramente muito obrigado a vocês pelo espaço! Gostaríamos de agradecer a todos os guerreiros do que lutaram e continuam lutando conosco pelo metal nacional, são dez anos de estrada e muitas pessoas que já fizeram e fazem diferença para nós.

Quem tiver interesse em conhecer mais sobre a banda pode acessar nossas páginas oficiais:

https://www.facebook.com/FireShadowFans

www.fireshadowonline.com

 

Logo - Back