Lonely Kamel

 

Você gosta de um Hard Rock com uma bela dose de Blues? Ou talvez um Stoner Metal total anos 70? Quem sabe um Doom Metal com pitadas psicodélicas? Se nenhum desses estilos te atrai, talvez tenha vindo ao lugar errado. Porém, se algum destes gêneros citados é seu favorito, vale a pena conhecer a banda norueguesa Lonely Kamel. Ainda relativamente desconhecida no Brasil, a banda acaba de lançar seu quarto álbum “Shit City”, e para falar sobre este novo lançamento, e também sobre a carreira da banda, que realizei esta entrevista com o guitarrista Lukas Paulsen. Confiram…

 

 

Vicente – Primeiramente, conte-nos um pouco sobre os nove anos de existência do Lonely Kamel…

 

Lukas Paulsen – Já nove anos? Primeiro disco saiu em 2008, entrei apenas um par de meses antes disso. Thomas e Stian começaram o Lonely Kamel numa jam bem básica, junto com diversos amigos que entravam e saíam. Eles eram chamados Ben Johnson no início. Eu entrei porque eles tinham uma abertura de show mais sério para o Orange Goblin. Em seguida, o baterista foi para San Diego, por isso eu recomendei nosso baterista atual. o Lonely Kamel verdadeiro existe desde em torno de 2007-2008. Depois que nós lançamos os nossos quatro álbuns.

 

Vicente – Vocês lançaram este ano seu mais recente álbum, “Shit City”. Como foi a gravação e as composições deste álbum?

 

Lukas Paulsen – Foi rápido e furioso. Ensaiamos muito e, em seguida, fizemos todo o álbum em 10 dias. Depois de 3 dias tínhamos gravado tudo, mais os vocais e algumas guitarras. Estamos utilizando nosso próprio equipamento, apenas alternando entre alguns amplificadores na guitarra. Só para combiná-los um pouco. A maioria das letras foi escrita durante esses 10 dias. Fico espantado de como o disco ficou bom.

 

Vicente – E a reação dos fãs, ainda que muito cedo, está sendo como você esperava?

 

Lukas Paulsen – Reação dos fãs tem sido ótima, todos os comentários têm sido muito bons.

 

Vicente – Qual foi a maior razão para o título “Shit City”?

 

Lukas Paulsen – Frustração. Ficar preso na mesma cidade de merda por muito tempo. Você quer sair, mas todos os seus amigos estão lá, seu trabalho e assim por diante. Confira a cidade de merda no vídeo lyric, no YouTube, e você terá a imagem correta de tudo.

 

558_LonelyKamel_RGB

 

Vicente – Além disso, vocês lançaram os álbuns “Lonely Kamel”, “Blues for the Dead” e “Dust Devil”. Fale-nos um pouco sobre eles…

 

Lukas Paulsen – “Lonely Kamel” foi o primeiro registro. Foi gravado em 24 horas, durante um fim de semana no sábado o engenheiro de som estava sete horas atrasado. Durante essas horas eu toquei com um banjo e quando o cara finalmente chegou, nós gravamos a música Madras em apenas um take.

 

“Blues for the Dead” esteve esgotado por um longo tempo, o que é triste porque ele tem algumas músicas muito boas, com boas letras. Confira “The Trip”, “Blindfolded” e “No More Excuses”, por exemplo.

 

“Dust Devi”l foi o nosso primeiro registro em uma grande gravadora. Os rapazes do selo gostaram, mas achei que era um pouco obscuro demais. Eles queriam outra “Damn you’re Hot” e “Spacerider” eu acho. É por isso que eles assinaram conosco. Mas temos o nosso próprio caminho. Nós não fazemos isso para ganhar dinheiro ou ficar famosos, não somos aqueles que irão ganhar um milhão de dólares. Nós somos péssimos como empresários. Acho que poderíamos ser maiores se nós prestássemos mais atenção à promoção da nossa porcaria.

 

Vicente – Sua música é uma mistura de Hard, Heavy, Blues e Stoner Metal. Esta é a proposta desde o início do Lonely Kamel?

 

Lukas Paulsen – Sim, tem sido assim, mas também tem havido alguma psicodelia e Doom às vezes.

 

 

Vicente – Como está a cena na Noruega para o Rock e Metal?

 

Lukas Paulsen – A cena Hard Rock na Noruega tem estado bastante morta já há algum tempo, mas algumas bandas novas emergem do Undergroud. Metal foi grande por um longo tempo, mas não é tão popular na Noruega como as pessoas no exterior parecem pensar. As maiorias dos noruegueses têm mau gosto musical, como no resto do mundo. Infelizmente.

 

Vicente – Em poucas palavras, o que você pensa sobre essas bandas:

 

Led Zeppelin: melhor banda de todos os tempos.

Deep Purple: uma das três grandes no início de Hard Rock. Performances ao vivo incríveis.

Pink Floyd: Eu realmente amo a era Syd Barrett. Echoes é uma das melhores músicas de todos os tempos. Live at Pompeii é incrível. As três bandas que você mencionou até agora estão na minha lista dos dez melhores, sem dúvida.

Cathedral: Eu realmente não escutei muito o que o Cathedral fez. Voltando na década de noventa eu estava mais voltado para Warrior Soul e Led Zep. Eu vou para casa e pegarei seus discos na internet. Se eu gostar eu irei comprá-los. Eu odeio o Spotify. Você está convidado a baixar o Lonely Kamel e apreciar a música de forma ilegal, mas não deixe de comprar os álbuns, se você gostar deles.

 

Vicente – Por fim, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que conhecem ou queiram saber muito mais sobre a música do Lonely Kamel

Lukas Paulsen – Levem Ronaldinho de volta à seleção!

lonelykamelLogo