Image front

É difícil hoje em dia uma banda sobressair-se as demais, visto que, se há alguns anos a quantidade de bandas/discos nacionais lançados por ano ficava em torno de 30/40, com as facilidades que a tecnologia traz temos 300 lançamentos em um único ano aqui no Brasil, isso sem contar as dezenas de shows internacionais que a cada ano temos em nosso país. Dificil, mas não impossível, como o Vingador demonstra em “Dark Side”

Porque o que temos aqui é uma verdadeira aula do Thrash Metal tradicional, aquele que fazia a cabeça dos fãs na década de 80 e criou uma legião de adoradores do estilo.  Não é apenas guitarras pesadas e de sonoridade abafada, ou um vocalista vociferando com um pretenso ódio suas letras, mas sim riffs matadores, vocais contagiantes, solos de guitarra em profusão, peso, velocidade e melodia na medida certa. O Thrash Metal como ele sempre deveria ser.

Desde os primeiros acordes em “Tolerance” vemos que “Dark Side” é um disco especial. E não seria absurdo imaginar “Hellstorm” fazendo parte do Kill’ em All (um misto de Hit the Lights/Four Horsemen), ou “Ashes of Fire” como parte integrante do grande …And Justice for All. E a boa Circle of Death com seu vocal à Slayer, que precede a melhor música do disco, e única em português, “Morrendo de Paz”, essa música em especial possui todos os predicados que o Thrash Metal deve ter, e o refrão é sensacional (especialmente a guitarra nele, quase resvalando na finada banda Death), e mal da tempo de respirar e já aparece a veloz “Have no Fear”. Somente estas seis músicas já valeriam o disco, mas ainda tem “Dead Nazi Poem”, “Yellow Crew”, “Pestilence” e “Darkness Is the Only Light…Suicide the Way”.

Mas espere ai, acabei por destacar todo o conteúdo de “Dark Side”. E, apesar de parecer, não é um exagero, já que todas as faixas têm uma qualidade acima da média. Entretanto, para não dizer que tudo são flores, um ponto negativo no disco seriam as letras, que abusam um pouco do clichê do estilo. Mas, obviamente, nada que tire o brilho de “Dark Side”.

Para todos os fãs do Metallica antigo, Slayer, Exodus e tantas bandas que marcaram o Thrash Metal, o Vingador é uma pedida perfeita. E que venha o próximo capitulo de sua história…

 

Nota: 9,0

 

Tracklist:

  1. Tolerance
    02. Hellstorm
    03. Ashes of Fire
    04. Circle of Death
    05. Morrendo de Paz
    06. Have no Fear
    07. Dead Nazi Poem
    08. Yellow Crew
    09. Pestilence
    10. Darkness is the Only Light…
    Suicide the Way

 

Membros:

Alexandre Cabral – Vocais, guitarras
Raphael Zaror – Guitarras
Diego Neves – Baixo
Bruno Oliveira – Bateria