1385027_570095506377602_544261509_n

 

A primeira impressão que se tem ao ver o nome da banda e conferir o logo da banda no CD é de se tratar de uma banda de Folk Metal, impressão que não se mantêm ao vermos nomes como “Mente em Sonhos”, “Andarilho” e “Poetas”.

Na verdade, é meio complicado definir a sonoridade neste primeiro EP da banda Devachan, pois se em sua essência é um resgate de uma época do Rock/Metal nacional (no caso os anos 80, de grandes bandas como Harppia, Centúrias e tantas outras) cantado em português, também possui nuances mais modernas, mas nunca se prendendo a uma mesma fórmula.

Começando pela instrumental “Mentalis Corpus” que, apesar de não ser uma ideia nada original, é uma intro muito bacana, e não daquelas que não acrescentam nada ao disco. Ponto a favor. Que continua em alta com “Mente em Sonhos”, talvez a faixa mais Heavy Metal do disco, guiada por bons riffs de guitarra e levada mais agressiva. Ritmo que continua em “Mudança de Tempo”, essa com o teclado mais em evidência e mais riffs pesados. Já “Liberdade” muda completamente o cenário, trazendo uma sensação de música para acompanhar os protestos tão em voga nas décadas de 70 e 80. Uma mudança de 360° na sonoridade. Não ficou ruim, inclusive o refrão gruda na mente com apenas uma audição e demora a sair de lá, mas pareceu destoar do restante. Mas como a intenção da banda é nunca se prender a um estilo especifico, está valendo. Já a faixa-título traz de volta o lado mais Rock/Metal do Devachan, apesar de um pouco inferior a “Mente em Sonhos” e “Mudança de Tempo”. E “Andarilho” fecha com “Poetas”, faixa mais lenta que transparece o principal problema, pois em momento algum o vocal de Gabriel Dias consegue se encaixar, mostrando até certa limitação, o que não acontece nas faixas mais agressivas ou em andamentos mais rápidos. Mas nada que não possa se consertar em futuras gravações, sem contar que a música em questão traz bons solos de guitarra.

Num resumo geral, “Andarilho” é um bom cartão de visitas do Devachan, possuindo ainda algumas arestas a serem aparadas, mas nada que o tempo não corrija. E quando surgir o primeiro disco completo da banda é que teremos uma verdadeira percepção do potencial da banda paulista. Mas acredito sim num futuro promissor para Gabriel Dias (vocal), Leandro Dias (guitarra), Daniel Dias (baixo), Bruno Caresia (bateria) e Michael Santos (teclado).

 

Nota: 7

 

Tracklist:

 

1- Mentalis Corpus

2- Mente em Sonhos

3- Mudança de Tempo

4- Liberdade

5- Andarilho

6- Poetas