Kamelot++2012+PNG

Gigantes nos anos noventa, uma grande parte das bandas que praticavam o Power/Prog Metal naquela época perdeu o fôlego nos anos vindouros, principalmente com o surgimento de um Metal mais básico e extremo. Muitas bandas mudaram sua sonoridade, para fugir de comparações, enquanto outras definharam e por fim encerraram suas atividades. E tem aquelas que sobreviveram e continuam na ativa com a mesma força de antigamente. E o Kamelot se enquadra nesse grupo seleto, muito porque sua música sempre teve elementos variados, letras e harmonias acima da media, sem nunca cair em modismos. E no próximo mês de Fevereiro os fãs brasileiros vão poder conferir isso de perto, em shows que a banda irá fazer no Rio de Janeiro (8), São Paulo (9) e Belo Horizonte (11). Para falar sobre esses shows e o atual momento da banda americana, conversei com o guitarrista Thomas Youngblood. Confiram o que Thomas tem a dizer…

 

Vicente – Vocês estarão de volta ao Brasil agora em fevereiro. Qual é a sua melhor lembrança dos shows anteriores aqui?

Thomas Youngblood – Lembro-me da primeira vez que vim para o Brasil com o Kamelot na turnê do disco The Black Halo. Foi fantástico e eu caí de amores com o público incrível do Brasil. Eu estive no Brasil (Rio), alguns anos antes pelo meu trabalho anterior e posso dizer que foi uma das melhores semanas da minha vida.

1525725_10151915128503003_1400552282_nVicente – O que você espera destes novos shows aqui? E o que os fãs daqui podem esperar do Kamelot?

Thomas Youngblood – Esperamos um grande volume de fãs e algumas noites intensas e quentes no Brasil. Nós curtimos muito ficar perto dos fãs no palco e eu espero compartilhar nossos momentos no palco com eles.

Vicente – Vocês já tocaram em muitos países pelo mundo nos últimos anos. Você acha que esses dias são melhores ou piores para as bandas, e em particular para o Kamelot?

Thomas Youngblood – Eu não posso falar pelas outras bandas, mas para o Kamelot as portas estão abertas mais do que nunca. Visitamos algumas novas regiões, países e cidades na turnê de Silverthorn. Nós sentimos que há uma nova consciência sobre a banda hoje e estamos fazendo nesse momento uma turnê explosiva.

Vicente – Vamos falar sobre o seu mais recente álbum, “Silverthorn”. Como foi a gravação e a composição deste álbum?

Thomas Youngblood – Nós começamos a discutir as ideias para o álbum há cerca de um ano antes de entrar no estúdio, ideias que se transformaram ao longo do tempo. A história foi desenvolvida por mim, Oliver, Tommy e nosso produtor. Amanda Somerville também escreveu a história para o livro limitado que estamos oferecendo aos fãs. As canções foram escritas em sua maioria por mim mesmo, Oliver, Tommy e Sascha.

Vicente – E a reação dos fãs foi a que vocês esperavam?Kamelot_SilverthornCover

Thomas Youngblood – Melhor do que eu esperava, mas foi incrível ouvir as primeiras reações e críticas. Sentimos que tínhamos feito o álbum e músicas da forma correta, mas até o seu lançamento, você nunca sabe o feedback que terá. As músicas ao vivo também estão muito divertidas de tocar e temos recebido um retorno incrível.

Vicente – A capa de “Silverthorn” é fantástica. De quem foi a idéia?

Thomas Youngblood – Essa foi a minha idéia, juntamente com o nosso artista Heilemann, que fez a capa. Eu queria retratar a personagem principal Jolee como uma jovem adulta, e ela é o anjo da vida após a morte.

Vicente – E talvez um novo álbum em breve?

Thomas Youngblood – O novo álbum deve sair em fevereiro de 2015, nós estamos começando a trabalhar em novas músicas nesse exato momento.

1472961_10151847927333003_1888108361_nVicente – Depois de duas décadas, como você vê a trajetória do Kamelot?

Thomas Youngblood – Muito boa, felizmente estamos crescendo mais e mais. Graças aos grandes fãs, trabalho duro e com o cuidado de nunca deixar a nossa música ficar obsoleta.

Vicente – Nos dias atuais as bandas que tocam Power / Prog Metal vem sofrendo, visto que muitos fãs de metal alteraram as suas preferências para um som mais simples ou extremo. Como você vê estes “novos tempos”, e você sente que o Kamelot perdeu alguns “fãs temporários”, mas  que os verdadeiros fãs continuam ao seu lado?

Thomas Youngblood – Eu não sei, nós não pensamos muito em gêneros musicais. Nós gostamos de misturar diferentes elementos no Kamelot, então eu acho que talvez seja por isso que continuamos na ativa e bem.

Vicente – “My Confessions” e “Sacrimony” tornaram-se dois vídeos muito legais. Como foi a gravação desses vídeos?

Thomas Youngblood – Filmamos ambos na Sérvia com ICODE. Eles também fizeram “Ghost Opera” e “Human Stain”, e o diretor Ivan é incrível e  muito bom em treinar a banda e os atores.

Vicente – Como é a cena nos EUA com relação ao Rock e Metal?

Thomas Youngblood – Muito boa, na verdade, vemos que está crescendo aqui. Estamos tocando em lugares maiores e acho, ou tenho esperança, de que o ciclo da música da moda que está dominando o mercado começará a mudar em breve,

Vicente – Finalmente, por favor, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que curtem o som de Kamelot.

Thomas Youngblood – Obrigado por seu apoio incrível, nós não podemos esperar para ver todos vocês em fevereiro, vai ser incrível!

Thomas / Kamelot

1475926_10151839787678003_1368683007_n