Deus Otiosus band 2013
 
Esta é para os fãs do Death Metal clássico, apesar de ainda ser uma banda relativamente recente. Os dinamarqueses do Deus Otiosus já lançaram dois discos e estão gravando seu terceiro, “Rise”. Para falar sobre isso e sobre a carreira da banda, conversei no final de 2013 com o guitarrista Henrik Engkjaer que fala também sobre suas influencias e bandas clássicas do gênero.  Vicente – Antes de tudo, conte-nos um pouco sobre a trajetória do Deus Otiosus, como foi o início da banda?

Henrik: “Anders (vocal) e eu começamos a banda como um projeto paralelo em 2005. As Coisas aconteceram lentamente no início e nos primeiros anos, só registramos uma Demo. Em 2009, formamos a banda completa e tudo tomou um outro ritmo. Nós já  gravamos 2 álbuns: “Murderer” em 2009 e “Godless” em 2012. Agora estamos nos preparando para gravar o nosso 3º álbum, “Rise”! ”

Vicente – E por que vocês escolheram este nome, certamente vocês já esperavam causar uma grande reação, certo?

Henrik: “Nós escolhemos o nome Deus Otiosus (Deus retirou-se do mundo), porque ele se adapta como um bom quadro para nossas letras e música: Todo o horror natural e não natural de um mundo não guiado por qualquer deus. Talvez o nome é muito difícil de soletrar e pronunciar para alguns, mas ainda gosto. Não é típico e tem personalidade, por isso se encaixa na banda.”

untitledVicente – Vocês lançaram no ano passado seu segundo álbum, “Godless”. Como foi a gravação deste álbum?

Henrik: “Nós gravamos o álbum aqui em Copenhague, na Dinamarca. 9 dias de gravação e mixagem no Earplug Studios, e um dia para a masterização. O próximo álbum será gravado em 12 dias no Starstruck Studio e Earplug Studios novamente. A gravação foi agradável e sem stress. Conhecíamos o material muito bem, e trilhamos um caminho natural, não uma máquina perfeita de expressão, de forma que  não ocorreu nenhum stress. ”

Vicente – E a reação dos fãs foi a que vocês esperavam?

Henrik: “Sim, muito legal as reações dos fãs e imprensa. Mas eu gostaria de ouvir ainda mais. Ouvir o que a música significa para as pessoas e como eles interpretam é sempre ótimo. Esperemos que com o nosso álbum seguinte consigamos chegar a mais pessoas! ”

Vicente – Deus Otiosus conseguiu ser ainda mais agressivo em “Godless”, com excelentes blast beats e riffs mais pesados. Esta foi a proposta desde o início da composição deste álbum?

Henrik: “Obrigado a você. Era o nosso objetivo fazer as músicas mais variadas e de dar a cada música um caráter mais forte e dinâmico. Então, sim, mais peso e mais agressividade em músicas diferentes. Provavelmente, você vai gostar de nosso próximo álbum ainda mais. Temos realmente trabalhado para tornar cada música diferente da outra. Algumas rápidas, outras agressivas, algumas pesadas ​​etc Cada música realmente tem o seu próprio personagem, na minha opinião. Nós não podemos esperar para gravar e deixar o mundo ouvir isso! ”

Vicente – Para você, qual é a maior diferença entre “Godless” para “Murderer”?

Henrik: “Muito mais trabalho foi colocado em “Godless”. Eu já era um compositor melhor, e tivemos tempo para fazer os arranjos como uma banda desde o início do processo. Portanto, há muito mais ideias e detalhes necessários. Mais uma vez você verá que um passo maior será dado com o próximo álbum “Rise”, muito mais trabalho colocado em cada canção. ”

Vicente – O som de Deus Otiosus é um ótimo Death Metal. Como você vê essa cena nos dias atuais? Brugbart 6

Henrik: “Eu acho que falta criatividade e boas composições em comparação com os dias clássicos. Boas bandas lá fora, são difíceis de encontrar, porque há um monte de coisas ruins que está recebendo, pelo menos, o mesmo nível de atenção. Vamos tentar resolver isso! ”

Vicente – Como é a cena na Dinamarca com relação ao Rock e Metal?

Henrik: “Não muito grande. Não há muito interesse no metal na Dinamarca. Eu acho que em quase todos os outros países da Europa é melhor. Mas é claro que existem revistas, locais, shows, bandas etc. Apenas não há muitas pessoas que querem ouvir metal …. ”

Vicente – O que vocês sabem sobre Rock e Metal no Brasil?

Henrik: “Bem, eu conheço o webzine Whiplash. E, claro, eu conheço as bandas clássicas como Sepultura e Sarcófago. Também Mystifier e Krisiun. Não me lembro de outras bandas neste exato momento. Mas eu tenho a sensação de que há um bom cenário para o metal no Brasil, com um monte de fãs. Seria legal ir tocar ai algum dia! ”

Vicente – Em poucas palavras, o que você acha sobre essas bandas:

Exhumed: “Nós tocamos com eles em junho deste ano (2013). Sua música tem um certo charme e eles fazem um grande show ao vivo. ”

Morbid Angel: “Esta é uma das melhores bandas de todos os tempos. Músicas muito criativas e excelentes. Eu amo a maioria de seus álbuns. ”

Deicide: “Seu álbum de estréia é também um dos melhores discos de death metal de todos os tempos. Eu curto os 4 primeiros álbuns. ”

Pestilence: “Consuming Impulse” é também um dos melhores álbuns de Death Metal de todos os tempos! Depois disso, eu devo dizer que eu não tenho ouvido seus álbuns “.

King Diamond: “O que posso dizer? Este é o melhor e mais criativo músico de metal que já saiu da Dinamarca. Ele já lançou tantos discos ótimos e deu um grande espetáculo quando o vi neste verão “.

Vicente – Por fim, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que conhecem ou queiram saber muito mais sobre a música de Deus Otiosus

Henrik: “Obrigado pela conversa. Eu aprecio o seu interesse pela banda! Se você quiser acompanhar a banda, basta manter os olhos em nossa homepage www.deus-otiosus.com ou no facebook. Especialmente agora que vamos gravar o nosso 3º álbum “Rise”, em janeiro. Então nós vamos ter algo novo para vocês ouvirem.”

Deus Otiosus logo