Tags

, , ,

zombie_pressfront

“Miolos”. Não sei exatamente o motivo de esta palavra ser a primeira a surgir em minha mente no momento da publicação desta entrevista com a banda Zombie Cookbook. Talvez ao ler as palavras aqui contidas e escutar o que Dr. Stinky (Vocal), Horace Bones (Guitarra), Guinea Pig (Guitarra), Hellsoudier (Baixo) e Dr. Freudstein (Bateria) demonstram no debut “Outside the Grave”, pode se ter uma verdadeira noção do que os zumbis são capazes quando resolvem fazer um Death Metal “podrão”. Confiram o que Dr. Stinky e Horace Bones tem a dizer e preparem-se, pois aqui encontrarão METAL E CARNE HUMANA FRESCA…

 

 

Vicente – Inicialmente, em resumo qual a avaliação que fazem da trajetória da banda até este momento? Como foi o inicio de tudo e a razão da escolha do nome Zombie Cookbook?

Dr Stinky – Cara… Então… Até agora está tudo caminhando muito bem… Apesar de algumas perdas de integrantes recentemente, estamos conseguindo repor o line-up com muita qualidade e em um rápido tempo, o mundo dos mortos tem contribuído demais conosco. O início é aquilo que foi retratado no nosso debut, morremos, ressuscitamos, e voltamos com muita fome de death metal, zumbis querendo fazer um grande banquete!

Vicente – A banda conseguiu uma grande repercussão de seu primeiro disco “Outside the Grave”. Como foi a gravação e composição do mesmo, em entrevistas anteriores falaram que foi um processo exaustivo para a banda, certo?

Horace Bones – Foi bem cansativo sim, gravamos os vocais umas 4 vezes pelo que eu me lembro. Nunca estava bom o suficiente pra nós, o que por um lado era bom. Como estávamos gravando em estúdio próprio pudemos contar com estas “regalias”.

zombiecookbook_promopic2Vicente – Mas foi um esforço que valeu a pena, visto as resenhas positivas que “Outside the Grave“ colecionou após seu lançamento.

Horace Bones – Com certeza… A resposta foi muito, mas MUITO além do que esperávamos… o que nos pegou até de surpresa em algumas resenhas (risos)

Vicente – O disco conta com grandes músicas como “I Drink your Blood”, “Feast Humans at Dusk”, entre outras, mas qual seria aquela que indicaria para quem ainda não conhece a banda, que resumiria o que realmente é o som do Zombie Cookbook?

Dr Stinky – Acho que cada uma tem sua particularidade, todos os membros da banda compuseram sons para o álbum. Eu destacaria duas que são muito importantes que são I Sell the Dead e V.O.D.U.N.

Vicente – Vocês fizeram um trabalho profissional e criativo no encarte do disco, e mesmo em toda a questão de divulgação da banda e do álbum. Esta é a proposta do Zombie Cookbook desde o principio?

Horace Bones – Com certeza… Este era pra ser nosso release… Aí não conseguimos viabilizar em tempo e resolvemos guardar a ideia para o encarte do nosso debut.

Vicente – Muita gente que não conhece pode achar que a banda está se valendo da “onda zumbi” para divulgar sua música, apesar da banda já existir mesmo antes de seriados de sucesso como “The Walking Dead”. Isso tem trazido, na sua opinião, uma exposição maior para o Zombie Cookbook?

Dr Stinky – Muito, TWD e os Zombie Walks ao redor do país tem contribuído muito para a disseminação da banda. Há inclusive alguns organizadores de Zombie Walk que nos procuraram para tocarmos e por aí vai… Espalhando terror e desgraça pelo Brasil.

Vicente – E falando nisso, qual seriam seus filmes/programas preferidos deste tema?zombiecookbook_promopic3

Horace Bones – Eu gosto muito dos clássicos. Night of the Living Dead, Dawn of the Dead, Fome Animal, e por aí vai.

Vicente – Muito se fala sobre os diversos problemas da cena Metal no Brasil. Qual avaliação que vocês fazem da mesma, acreditam que ela melhorou, piorou ou está estagnada?

Dr Stinky – Penso que sempre tem melhorado, muitas bandas vem ganhando destaque nacional e internacional, temos tido bastante shows e festivais com bandas grandes daqui e de fora do Brasil. A música num geral está numa fase de transição, há muito do que aprendermos ainda e temos que definir agora qual o rumo que ela irá tomar. As bandas hoje procuram lançar seus materiais de maneira independente, a vendagem de cds é mais baixa, há muita pirataria, então busca-se merchandising diferenciado, camisetas, bonés, canecas, posters, etc. etc. etc. o que acaba sustentando as bandas.

Vicente – E quais são os principais objetivos daqui para frente? Como está a agenda de shows?

Horace Bones – Nosso maior objetivo é gravar o segundo CD e tornar o mundo de vez num apocalipse zumbi!

Vicente – Em poucas palavras, o que pensa sobre as seguintes bandas:

 

Carcass:

Horace Bones – Grande influência pra quem gosta de Death Metal

Sextrash:

Dr Stinky – ARRRRGGHHHH

Napalm Death:

Dr Stinky – Embalos de sábado à noite!!

Autopsy:

Horace Bones – O pai de todos!

Cannibal Corpse:

Dr Stinky – Até o Tomb of the Mutilated (meu preferido) é uma puta banda! Depois pra mim perdeu um pouco do brilho.

Vicente – Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho da banda Zombie Cookbook e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Metal nacional.

Dr Stinky – Uma grande cusparada, podridão e pus pra todos vocês. Fiquem de olho na nossa fanpage (www.facebook.com/zcbofficial) e no nosso site (www.zombiecookbook.com.br) durante o ano que há muita coisa boa pra sair. Keep Cookin’ Death Metal!!!!

zombiecookbook_logo