_CAS5616

Para mostrar que a Espanha não vive somente de futebol e de touros correndo pelas ruas, aqui está um autentico representante do Metal espanhol. A banda Mistweaver já possui quatro discos lançados, em um estilo que poderíamos classificar como Death Metal melódico. Apesar de pouco conhecidos no Brasil, demonstram conhecer o nosso cenário. Conversei com o baixista David de Pedro, onde ele revela mais sobre a carreira do Mistweaver.

 

Vicente – Primeiro, conte-nos um pouco sobre os 16 anos de existência do Mistweaver

David – Mistweaver é uma banda de Death Metal melódico da Espanha, formada no ano de 1997 com um som mais voltado para o Doom, mas após a primeira formação da banda mudamos a tendência, convergindo ao estilo atual. O fundador do projeto e o único membro original da banda é Raul Weaver, que depois de tocar em outras bandas decidiu formar um grupo mais adequado para o seu estilo. O Mistweaver já fez muitos shows em sua carreira, e lançou quatro álbuns com diferentes gravadoras.

1283847319_coverVicente – Vocês lançaram em 2010 o seu mais recente álbum, “Tales from the Grave”. Como foi a gravação e a composição deste álbum?

David – Nosso quarto e último álbum “Tales from the Grave” foi gravado na Suécia pelo guitarrista Andy LaRocque (King Diamond). A gravação foi fenomenal com Andy, mas ao mesmo tempo muito estressante, visto que o grande Andy era muito exigente e tivemos apenas duas semanas para gravar.

As composições foram muito bem elaboradas e inúmeras mudanças foram feitas para melhorá-las. As letras são inspiradas igualmente pela morte.

Vicente – E a reação dos fãs foi como vocês esperavam?

David – Foi melhor do que o esperado. Sabíamos que tínhamos feito um bom registro, o melhor de todos. Mas não esperávamos que nossos fãs iriam gostar tanto assim. Temos muitas resenhas deste último álbum e quase todas são muito boas, por isso acredito que fizemos um grande trabalho.

Vicente – Uma das grandes músicas é Voices from the Grave. Quais são as músicas que você indicaria para aqueles queIMG_0373 ainda não conhecem o som de Mistweaver?

David – Bem, a nossa música é em um estilo Death Metal melódico, mas temos que dizer que isso não é inteiramente verdade, porque a nossa música é difícil de classificar, mas é verdade que este estilo é o que mais se assemelha a nós, usamos muita melodia em nossas composições, mas sempre acompanhadas por sons com ritmos poderosos e fortes, mudanças de ritmo, lento e rápido, até mesmo acústico. Em suma, para aqueles que nunca nos ouviram a melhor maneira de saber como é nosso som é realmente ouvindo-o, porque é um pouco complicado de descrever.

Vicente – E talvez um novo álbum em breve?

David – Tivemos alguns contratempos com as mudanças de formação recente, mas estamos preparando nosso próximo álbum e temos algumas gravações prontas. Nós já temos algumas músicas, mas precisamos poli-las. As músicas continuam em nossa linha de som neste novo álbum com alguns elementos mais rápidos e poderosos. Vamos tentar encontrar uma gravadora que se preocupa com a gente.

Vicente – Como é a cena na Espanha com relação Rock e Metal?

David – Existem muito bandas boas e as pessoas ouvem a boa música, mas a situação atual da música, no quesito ao vivo, não é muito animadora. Nós tocamos cada vez menos e cada vez há menos espaços para shows de metal, e aqueles que são realizados não reúnem um grande número de pessoas, embora eu tenha que dizer que ainda são os melhores e os mais dedicados.

Devemos acrescentar que o metal na Espanha, infelizmente, é amado por uma minoria, ao contrário de outros países que têm outra cultura musical.

_CAS5609Vicente – O que vocês sabem sobre Rock e Metal no Brasil?

David – No Brasil há um metal grandioso. Bandas como Soufly, Krisiun, Korzus e Torture Squard dizem tudo. Todos nós crescemos ouvindo Sepultura e os brasileiros agitando com esses ritmos. Também dividimos o palco com o Shadowside, uma boa banda do Brasil.

Vicente – Quais seriam suas maiores influências?

David – Visto que temos muitas influências, a principal delas é o metal sueco, o som emergente de bandas de metal melódico, como In Flames, Arch Enemy, Dark Trankillity, etc… Todos os componentes curtem esse estilo de música, porém mais frequentemente fomos comparados com Amorphis, Samael, Moonspell, etc. Temos também outras influências como o Black e Doom Metal. Mas o que sempre nos caracterizou em todos os nossos álbuns são os toques épicos e medievais.

Vicente – Em poucas palavras, o que você pensa sobre as seguintes bandas:

Arch Enemy: Minha banda favorita. Terrível! Misturando melodia com força pungente de guitarras e harmonias, a guitarra de Michael Amott… Todos os integrantes são incríveis, mas a que eu gosto mais é Angela Gossow (risos)

Hypocrisy: foda!. Puro Death Metal agressivo com melodias para enlouquecer. Peter Tägtgren é um verdadeiro gênio.

Death: Poderoso! Uma verdadeira inspiração para todas as bandas de metal extremo. Não tenho palavras…

Dark Moor: Lendária banda espanhola. É bom pra caralho o que estão conseguindo internacionalmente.

Opeth: Surpreendentemente perfeito. Super técnicos e verdadeiros mestres do metal extremo.

Vicente – Finalmente, por favor, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que já conhecem ou querem saber muito mais sobre a música do Mistweaver

David – Metalheads de todo o Brasil. Qualquer coisa que eu diga para você conhecerem o Mistweaver não vai ajudar se você não nos ouvir, então… Vá em frente, escute e aprecie. Ou, pelo menos, esperamos não decepcioná-los. Nós esperamos vê-lo algum dia em um poderoso show no Brasil. Até logo.

LOGO - Nuevo -