1276156_10151856896238901_221969102_o

Quem foi musa nunca perde a coroa. Bom, o ditado popular não é bem esse, mas pode ser aplicado quando falamos da entrevistada, que atende pelo nome de Liv Kristine Espenaes Krull. A bela soprano, que ficou conhecida quando integrava o Theatre of Tragedy, há 10 anos está a frente do Leaves’ Eyes, onde continua a cativar seus fãs com sua voz inconfundível. Para falar mais sobre a banda, que está lançando seu quinto disco de estúdio, “Symphonies of the Night”, Liv Kristine concedeu esta entrevista no final de Setembro, onde fala também sobre a carreira da banda e sobre o cenário musical em geral e suas lembranças do Brasil.  

Vicente – Leaves’ Eyes celebra este ano 10 anos. Como você vê a trajetória da banda depois de todo esse tempo?

Liv: Sim, o tempo voa… Todos os álbuns do Leaves’ Eyes foram produzidos em nosso próprio estúdio Mastersound, o que significa que toda a produção sempre foi desenvolvida cuidadosamente, com 100% de foco, e por um longo período de tempo. Algumas das músicas compostas foram necessários dois anos de maturação, enquanto outras foram escritas e gravadas em apenas um dia. Eu me considero muito sortuda de ter o espaço e tempo para me desenvolver artisticamente em meu próprio ritmo. Sou muito grata pela banda e nossa maneira de compor que se desenvolveu ao longo dos anos. Alguns membros vieram e foram, no entanto, o “núcleo” e fonte de inspiração do Leaves ‘Eyes permaneceu. É fantástico trabalhar com o meu marido, Alex, sendo o produtor de cada álbum. Eu sei que ninguém tem essa habilidade e conhecimento refinado referentes ao trabalho em estúdio e gravação. Acredite em mim, eu tenho trabalhado com vários compositores e produtores desde meus dias com o Theatre of Tragedy. Apenas alguns dias atrás, nós terminamos nosso último álbum com Leaves’ Eyes: “Symphonies of the Night”. É o melhor álbum que já compusemos e produzimos até agora… Por trás de cada álbum, cada passo na minha carreira, sempre trabalhei ao máximo. Há um pedaço da minha alma em cada música e letra, aliás, que brota da vida e da longa experiência artística. Alex, Tosso, Sander e eu somos todos perfeccionistas. Nós nunca iríamos entregar um álbum com o qual não estivéssemos 100% satisfeitos.

Vicente – Seu álbum mais recente foi “Meredead”. Como foi a gravação deste álbum?

Liv: As gravações foram um pouco mais rápidas do que esperávamos, aliás, como alguns bons amigos passaram pelo Mastersound Studo, algumas participações especiais aconteceram de forma inesperada. John Kelly, Maite Itoiz, Carmen Elise, Anette Guldbrandsen entre outros, contribuíram para tornar “Meredead” um álbum inspirado no folk muito “picante” e refrescante, da qual sou totalmente orgulhosa. Há muita influência nórdica nele, como o instrumento nyckelharpa, o violino, inspiradas composições tradicionais e, por último, mas não menos importante o Cover da famosa canção tradicional “Kråkevisa”.

601405_10151494171478901_742017227_nVicente – E a reação dos fãs foi como você esperava?

Liv: Para o Meredead tivemos um retorno incrível, tanto a imprensa, os fãs e amigos íntimos. Estou muito agradecida! Agora estou ansiosa para saber o que todos vocês pensam sobre “Symphonies of the Night”.

Vicente – E o seu novo álbum, “Symphonies of the Night”. O que os fãs podem esperar do Leaves’ Eyes? Para você, qual a maior diferença dele para os demais álbuns da banda?

Liv: Agora estamos ansiosos para o lançamento de “Symphonies of the Night”, que tem suas raízes em ambos, Meredead e Njord, no entanto, é outro impressionante e inovador passo na história do Leaves’ Eyes. Para mim, “Symphonies of the Night” soa ainda mais pesado, mais Heavy do que as nossas produções passadas, além disso, traz tanto elementos folclóricos quanto sinfônicos, tudo pelo qual o Leaves ‘Eyes é conhecido. Tenho de acrescentar que Alex, meu marido e nosso produtor, passou dias e noites no estúdio. Estou muito impressionada! Isto também foi um grande passo à frente em nosso som. É um álbum muito poderoso com um som incrivelmente poderoso, com muitos e surpreendentes detalhes para serem descobertos pelos amantes do gothic metal e da música folk.

Vicente – E as letras, qual é a mensagem que a banda quer passar para seus fãs?

Liv: Os temas líricos em “Symphonies of the Night” acabaram por envolver heroínas dos livros de história e sagas. Isso não foi realmente planejado, no entanto, depois de ter escrito as letras das faixas demo para “Ophelia” e ” Saint Cecelia” , eu percebi que este era o caminho a seguir. Eu sempre fui inspirada pelas grandes mulheres das histórias, especialmente quando se tratam de bruxas, mulheres guerreiras e mulheres que sofreram por causa do poder masculino e religiosamente fundamentadas que levavam ao sofrimento, assassinato e maus-tratos. Para ser honesta, na minha opinião, algumas das melhores letras que eu já li e cantei estão no álbum “Aegis” do Theatre of Tragedy. Raymond fez um excelente trabalho no álbum.

Vicente – Com uma voz única e um instrumental marcante, o Leaves ‘Eyes criou sua própria personalidade, tornando-se um grande sucesso em1374840_10151856898938901_1665231760_n todo o mundo. Foi difícil chegar a este som em particular?

Liv: Não. Desde o principio  eu tive essa idéia sobre a formação de minha nova banda, que o Leaves’Eyes seria tudo que sempre quis. Na verdade, foi durante uma caminhada pela floresta, em 2003, que o meu marido me perguntou: “por que não formar uma nova banda?” Eu sempre tive uma mente aberta sobre a minha trajetória artística.

Vicente – Você já tocou aqui no Brasil há algum tempo. Quais são suas melhores lembranças?

Liv: Nossos fãs brasileiros amam nossa banda com toda sua paixão e o mais profundo respeito – eu pude sentir isso em todos os shows! Tenho muita sorte de ter tocado em seu país, e espero voltar em breve! Vocês são incríveis!

Vicente – Na verdade, Leaves’ Eyes e Atrocity deveriam ter se apresentado aqui no Brasil há pouco tempo atrás, mas, infelizmente, este show foi cancelado. O que realmente aconteceu?

Liv: infelizmente, o contrato não foi cumprido por um promotor, de modo que o resto da equipe e a banda não poderiam correr o risco de forçar os shows acontecerem de qualquer maneira. Lamento muito por isso.

1175548_10151815771248901_1912355311_nVicente – Como é a cena na Noruega e na Alemanha para o Rock e Metal?

Liv: Nós tocamos no Wacken Open Air do ano passado, e acabamos de voltar do Summerbreeze – Uau! A cena do metal na Europa é muito, muito forte! As pessoas querem ver as bandas tocando ao vivo!

Uma coisa que eu percebi é que na Noruega o metal é tocado na rádio nacional durante o dia inteiro, mesmo metal extremo. Aplausos para o meu país!

Vicente – Em poucas palavras, o que você acha sobre essas bandas:

Nightwish: Tuomas e Marco são incríveis! A última vez que os vi foi com Tarja, fui visitá-la em seu aniversário. E que show fenomenal, ela é uma mulher fantástica e maravilhosa amiga.

Midnattsol: minha irmã Carmen Elise toca meu coração com suas habilidades e melodias delicadas – ela é a única de nós que pode “ler” as notas. Ela me ajudou, por vezes, na minha juventude, quando eu tive que aprender as minhas operetas e os concertos de coral clássico.

Epica: Estou animada com o bebê de Simone – já conversamos muito sobre bebês, visto que já tenho um bocado de experiência.

Xandria: Bela voz feminina, uma garota muito doce ela é. Nós nos conhecemos em um show.

Within Temptation: Sharon é sempre agradável quando nos encontramos!

Vicente – Finalmente, por favor, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que gostam e querem saber mais sobre a música do Leaves’ Eyes.

Liv: obrigado por todo o seu amor e apoio durante todos estes anos – espero que vocês gostem de “Symphonies of the Night”

Cuidem-se!

Com amor,

Liv

1147507_10151775225858901_696652086_o