Bioface Capa CD

Incrível como algumas regiões ficam marcadas por determinados estilos musicais. O Thrash Metal da Bay Area, O Hardcore nova-iorquino, ou o que ficou conhecido mundialmente como “grunge” em Seattle. Aqui no Brasil o reino da junção Hardcore/Metal, ou Crossover, fica no ABC paulista, e é de lá que vem o BIoface.

No seu auto-intitulado disco de estréia, a banda mostra todos os predicados que o estilo promete. Letras politizadas e com uma grande carga de ódio, som avassalador e extremamente pesado, tudo isso numa produção/gravação como manda o gênero, uma sonoridade mais suja, crua, mas que casa bem com o estilo do Bioface.

Alguns dos destaques do disco é a bateria de Leandro Cavalheri, a voz de Régis Carbex, que, ao contrário de muitos vocalistas que cantam em português, é perfeitamente compreensível, algo fundamental numa banda em que as letras são acima da média do estilo, e as cordas que carregam no peso com o guitarrista Marcelo Antônio e o baixista Marco Aurélio.

Difícil fazer destaques individuais, visto que o disco é bem homogêneo, mas não dá para deixar de destacar faixas como Mente Alterada, a ótima Corrosão  (que acaba de virar vídeo clipe) e Reagir. O Bioface está no rumo certo para consolidar seu nome no cenário nacional.

Nota: 8,0

Formação:
Régis Carbex – vocal
Marcelo Antônio – guitarra
Marco Aurélio – baixo
Leandro Cavalheri – bateria

Tracklist:

01. Mente Alterada
02. Corrosão
03. Ninho de Cobra
04. Hierarquia
05. Invasão
06. Animismo
07. Reagir
08. Atos Impunes
09. Favela
10. Neglicência
11. Face Negativa
12. Bioface
13. Destruir
14. Reagir (versão espanhol “Reaccionar”)