Russell-Allen

Em virtude de alguns problemas, não consegui postar esta entrevista em tempo hábil, o que no fim foi providencial, visto que, infelizmente, o vocalista não pode participar do tão aguardado show do Angra neste último dia 25 de Agosto. Um desfalque considerável, visto que muitos fãs esperavam ver esta participação, mas um acidente a caminho do aeroporto impossibilitou a sua presença. Mesmo assim, nessa pequena entrevista Russel Allen demonstrou uma ligação tão forte com o público brasileiro, que não podia deixar de mostrar essa matéria. Confiram as palavras de um dos maiores vocalistas da atualidade.

 

Vicente – Você vai estar com o Angra no próximo dia 25 de agosto, em um show que será gravado para um futuro DVD. O que você espera?

Russel Allen – Estou ansioso para tocar com a banda e os outros convidados. Estou extremamente honrado em ser convidado para participar deste evento histórico e estou muito animado para ver os impressionantes fãs brasileiros novamente!

Vicente – Numa época em que as pessoas têm acesso a tudo em um piscar de olhos, e a música mais aceita é, às vezes, mais simples ou mais extrema, as bandas de Power/Progressive Metal, como Angra e Symphony X, vão em outra direção , cujo som não tem limites. Esta é a sua idéia de boa música, a liberdade de criação, sem pensar se vai vender ou não?

Russel Allen – Indiferente de ser prog ou metal, rock ou blues ou qualquer outra coisa… Eu sempre faço a melhor música que eu puder. Se ela vende não é para mim. Nenhum artista pode controlar o que o público vai gostar ou o que eles vão comprar. Uma música que eu acho que é ótima pode não entrar em ressonância com os outros. Na minha experiência, irrestrita liberdade criativa não existe quando se está em uma banda ou se trabalha em um time de compositores. Você sempre tenta encontrar a magia que trabalha para o todo e não o individual. Independentemente do gênero. Quando você alcança isso, todo mundo reconhece e, geralmente, o público irá recebê-lo. A única verdadeira liberdade criativa é quando você realiza tudo sozinho. É a única maneira de fazer tudo por si mesmo. Então você pode se sentir satisfeito que você fez isso. Apenas não fique chateado se os outros não gostam… Ou não o compram (risos).

Vicente – Em todos esses anos, você criou uma ligação muito especial com o Brasil. Quais são suas melhores lembranças de outros shows aqui?

Russel Allen – Eu sempre valorizei os shows especiais que eu tive aí. Nunca esqueci os primeiros shows que fiz em São Paulo, Manaus, Rio e Brasília, para citar alguns que me lembro. Meu primeiro show com Adrenaline Mob no Brasil foi incrível! Tendo Ripper cantando com a gente foi totalmente inesperado e foi matador!

Vicente – Por favor, deixe uma mensagem para todos os seus fãs brasileiros, e um convite para este grande evento.

Russel Allen – Dizer que eu amo o Brasil é um eufemismo. Vocês fazem com que eu prossiga! Vocês me inspiram a dar tudo o que tenho para dar a cada show. E, neste fim de semana não será diferente. Por favor, juntem-se a nós comemorando 20 anos de muita música de uma das maiores bandas do Brasil.