430527_359799064040903_1296988604_n

Uma das grandes bandas dos anos 90 estará voltando ao Brasil agora em Março. E com a antiga energia igualmente de volta. O Biohazard foi uma das poucas bandas que soube fazer perfeitamente a junção do Hardcore com o Metal, conquistando o respeito de ambas as “tribos”. Com os shows marcados para Florianópolis (13), Porto Alegre (14), São Paulo (15) e Belo Horizonte (17), a banda promete um espetáculo inesquecível. Se a empolgação do Guitarrista/Vocalista Billy Graziadei nos palcos for a mesma demonstrada nesta entrevista, preparam-se…  

 

Vicente – Vocês virão tocar novamente no Brasil em março. Qual é a sua melhor lembrança de seus shows anteriores aqui?

Billy – Eu estive esperando voltar ao Brasil por tanto tempo, e estou tão empolgado para março chegar! Cada show que realizamos no Brasil foi incrível, um que se destaca foi a primeira (e, infelizmente, a nossa única) vez no Rio! Nós entramos no camarim antes do show e a sala estava cheia de agentes federais! Longa história que vou compartilhar no meu livro, mas fomos expulsos do país no dia seguinte!

Vicente – O que você espera destes novos shows aqui? E o que os fãs do Brasil podem esperar do Biohazard?

Billy – Brasil é um dos poucos países que você pode contar com a energia, paixão e insanidade nos shows! Prestem atenção nas músicas que você nunca ouviu antes, algumas surpresas interessantes e muito mais no estilo Hardcore do Biohazard!

Vicente – Para você, quais são as músicas que nunca podem estar fora de um show do Biohazard? Quais são as novas músicas que certamente entrarão no set list?

Billy – Isso é difícil dizer, uma vez que temos muitas músicas, mas eu acredito em músicas como Punishment, Shades of Grey… O novo álbum “Reborn in Defiance” tem algumas músicas que soam matadoras ao vivo. Quando tocamos Reborn, Vengeance is Mine ou Come Alive …. É quando o “pit” começa!

?????????????????????????Vicente – “Reborn in Defiance” é o seu disco mais recente. Conte-nos como foi a gravação e composição do álbum?

Billy – Eu acho que ficar longe um do outro, fazendo projetos diferentes, nos ajudou a crescer como pessoas, como artistas / músicos e como banda! Para “Reborn in Defiance”, nós aproximamos cada canção como uma forma única de auto-expressão. Eu não queria ter os mesmos sons em cada música, a sonoridade de um álbum precisa mudar com o assunto, vibração, dinâmica ou qualquer sentimento que você esteja tentando transmitir. Trabalhar com Toby Wright (nosso produtor) foi uma experiência incrível, ele nos manteve focados naquela visão pura, não-contaminada, de apenas uma música de cada vez! Ter Bobby de volta na banda foi ótimo, ele é um guitarrista incrível, com tanta alma, ouve-se isso em cada uma das guitarras principais em “Reborn in Defiance”. Excursionar juntos, todos nós no palco matando a cada noite é incrível, eu amo isso e não posso esperar para estar em turnê novamente. Eu estive em casa por 3 dias e eu não podia esperar para voltar à estrada novamente.

Vicente – E a reação dos fãs foi como vocês esperavam?

Billy – A banda tem mais energia agora do que jamais teve, não tenho certeza de como ou por que, mas está lá e nós amamos. Scott trouxe muita energia de volta para a banda, talvez seja o novo álbum, a vibração de todos nós estarmos juntos novamente, quem sabe… Mas quem se importa, isso detona e eu estou amando! As novas músicas estão matadoras todas as noites, Reborn, Come Alive, Vengeance … Todos elas….. temos um monte de vídeos dessas músicas ao vivo em nossa página no www.facebook.com/biohazardDFL e também em nosso canal www.youtube.com/BiohazardDFLvideo para checarem. Mantenha-se comigo em www.facebook.com/billyBIOHAZARD   Eu estou sempre a postar!

Vicente – “Vengeance is Mine” e “Skullcrusher” são grandes canções. Quais são as músicas em “Reborn in Defiance” que você indica para aqueles que ainda não conhecem o Biohazard?

Billy – Difícil dizer, as músicas do álbum não estariam ali se não gostássemos delas! Para mim, há sempre músicas que gostamos de tocar ao vivo, e há sempre canções ótimas de ouvir, mas que não funcionam tão bem ao vivo no palco. Nós sempre tivemos esses elementos em nossos álbuns com canções como Failed Territory e todo o trabalho de piano e violão que fizemos ao longo dos anos. Estou ansioso para tocar Vows of Redemption, um pouco para dar uma acalmada, então voltamos com tudo com Vengeance is Mine ou Reborn!

Vicente – Talvez em 2013 os fãs irão ver o novo álbum do Biohazard?

Billy – Estamos trabalhando no novo álbum agora. Fiquem ligados…

Vicente – Biohazard é uma das maiores e mais notáveis bandas de Hardcore / Metal, uma grande399133_444729458874077_1180411199_n influência para muitas bandas novas. Quais são seus maiores objetivos daqui para frente, talvez algo que vocês ainda não chegaram a alcançar todo esse tempo?

Billy – Estar longe um do outro foi ótimo para mim. Quando nos separamos, em 2004, eu sentia como se tivesse realizado tudo o que queria com o Biohazard. Depois o tempo foi passando, trabalhando em diferentes projetos, bandas, produções… Quando recebi o telefonema sobre todos nós voltarmos a tocar juntos com Bobby, foi como um sopro na mente. Fazer a turnê de reunião e estar de volta junto com os caras, isso reacendeu minha paixão pelo Biohazard. Enquanto esse sentimento estiver no meu coração, eu vou estar fazendo isso até eu morrer!

Vicente – Como está a cena nos EUA para Rock e Metal?

Billy – Como em toda parte, enquanto houver conflitos no mundo (e por toda minha vida, sempre houve), haverá música underground que expressa essas lutas! Fico feliz em fazer parte desta incrível sub-cultura!

Vicente – Quando você começou na música, quais foram as suas maiores influências, que inspiraram você?

Billy – Eu costumava ver o meu tio e meu avô tocando piano, eles me ensinaram e eu segui meu próprio caminho, eventualmente. Eu costumava tocar piano, enquanto minha mãe cantava comigo. Quando me deparei com o punk rock, foi quando eu descobri a minha vocação. Foi a música que trazia uma mensagem e não apenas entretenimento! Eu fiquei viciado e logo aprendi a tocar guitarra e juntei-me a uma banda de punk rock! Eu diria que eu fui influenciado por todos, de Minor Threat a Metallica, Black Sabbath até Bad Brains….

Vicente – Em poucas palavras, o que você pensa sobre essas bandas:

Black Sabbath: Motorhead: Madball: Sepultura: Type O Negative

Billy – Algumas das minhas favoritas de todos os tempos! Orgulhoso “pra caralho” de ter excursionado e festejado com todos eles!

Vicente – Por fim, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que amam o som de Biohazard

Billy – (Essa respondida em português) Eu não Vejo A Hora de voltar e soltar toda a energia e paixão no show!!

Abraços

E Noiz

Billy: Facebook.com/billyBIOHAZARD

biohazard-brasil-2013-300x300