578905_10150821557437969_528275544_n

O Sonata Arctica é uma das principais e mais criativas bandas surgidas nos últimos anos, onde sempre fizeram questão de demonstrar que sua música não possuía fronteiras, não se prendiam a somente um estilo. “Stone Grow Her Name” , o mais recente disco da banda, é a prova final que a banda libertou-se das amarras do Power Metal do principio de sua carreira. Assunto que surgiu várias vezes nesta entrevista que realizei com o vocalista Tony Kakko, que mesmo que essa polêmica, mostrou muito simpatia e até bom humor com a situação, além de demonstrar que a banda espera com ansiedade tocar no Brasil nos dias 10 e 11 de Março (em São Paulo e no Rio de Janeiro).

Vicente – Vocês irão tocar novamente no Brasil em Março. Qual é a sua melhor lembrança dos shows anteriores aqui?

TK: Os fãs. São sempre os fãs. Vocês são simplesmente fantásticos! Na verdade, aplica-se isso a toda a América do Sul. É simplesmente incrível ver vocês do palco. Nada realmente se compara a isso. Acho que sempre nos lembramos da primeira vez como a melhor. Então você acaba esperando no mínimo o mesmo. E isso nunca falha. Obrigado por tudo isso…

165993_10150908062127969_137075977_nVicente – O que você espera deste novo show aqui? E o que os fãs daqui podem esperar do Sonata Arctica?

TK: Vocês terão o melhor Sonata Arctica modelo 2013. Pretendemos levar o mesmo show para toda parte, tanto quanto possível. Infelizmente nós não podemos fazer as partes acústicas em algumas regiões. Renovamos muito nosso set list desde a última vez, principalmente devido a um álbum muito bacana chamado “Stones Grow Her Name”.Então terão muitas novidades.

Vicente – Para você, quais são as músicas que nunca podem ficar fora do set list do Sonata Arctica? Quais são as novas músicas que certamente estarão no show?

TK: Eu acho que “Full Moon” and “Don’t Say A Word” estão nessa lista. Já com relação às novas “I Have A Right”, “Alone in Heaven”, “Cinderblox”, “The Day”… Poderíamos basicamente tocar o álbum inteiro, se quiséssemos. Mas pelo menos essas estão certas.

Vicente – Vocês já tocaram em muitos países ao redor do mundo nos últimos anos. Você acha que os dias atuais estão melhores ou piores para o Sonata Arctica e para a música em geral?

TK: Passamos por uma grande mudança de estilo nos últimos anos. Temos deliberadamente nos afastado cada vez mais do Power Metal. Nós realmente não nos vemos tocando esse tipo de coisa quando ficarmos um pouco mais velhos, por isso era necessário começar a construir “um novo Sonata” nesse momento. Desde os dias iniciais do Power Metal, sim, as coisas tomaram um rumo descendente, o que era de se esperar. Os verdadeiros cabeças do Power Metal parecem ter entendido que não somos mais sua xícara de chá hoje em dia. Os meios de comunicação até certo ponto e… tosse … As gravadoras também, ainda parecem ver-nos como estávamos há dez anos. Mas nós já começamos a ver um monte de gente que realmente não se importa como tudo começou. Foi um início, a infância, uma fase feliz. Mas estamos em movimento.

Vicente – Vamos falar sobre o seu novo álbum, “Stones Grow Her Name”. Como foi332782
a gravação e as composições deste álbum?

TK: Foi um progresso extremamente fácil e divertido, apesar de tudo, em comparação com
alguns álbuns nossos anteriores. Eu era realmente capaz de tocar a Demo do álbum quase toda até um ano antes da gravação ser iniciada. Isso foi realmente a primeira vez que aconteceu. Isso fez todo o processo realmente muito mais fácil. Pudemos ensaiar as músicas, o que não tinha sido o caso com alguns álbuns anteriores. A maior parte deles na verdade …

Vicente – E a reação dos fãs foi como você esperava?

TK: Muito legal. Uma mudança sempre leva as pessoas a ter algumas reações, o que não ocorre ao gravar o mesmo álbum sempre. Nós escolhemos estar em constante movimento. Principalmente eu recebi um feedback formidável. Acho que o pessoal mais “cabeça fechada” do Metal finalmente percebeu que somos um pouco diferentes.

Vicente – De quem foi a ideia da grande capa deste álbum?

TK: Obrigado! A idéia foi elaborada por alguém próximo a mim alguns bons 20anos atrás (risos). Portanto, é uma idéia com uma certa idade já. Nós apenas a “reformamos” um pouco.
Vicente – Stone Grow Her Name” é o sétimo álbum da Sonata Arctica. Como você vê a trajetória da banda depois de todos esses anos?

TK: Bem, não foi como uma bala, com certeza! Ou talvez como a “bala mágica” que matou JFK, eu não sei, (risos)! Nós fizemos uma porrada de coisas diferentes e eu ainda acredito que, mesmo assim, nós conseguimos soar como Sonata Arctica todo o tempo, apesar das mudanças no som e estilo.

149389_10150882256352969_78106229_nVicente – Apesar do som verdadeiro do Sonata Arctica estar hoje em dia a quilômetros de distância de Power Metal do início, grande parte dos meios de comunicação e até mesmo os fãs ainda ligam a banda com esse estilo. Você acha que esse tipo de comparação é de todo ruim para a banda?

TK: Quando e se alguém resenha nosso novo álbum como um álbum de Power metal feito por uma banda de Power metal, então é muito ruim. Quero dizer, é como comer um tomate e escrever uma resenha sobre o mais estranho bife que você já comeu. (risos)! Eu percebi a muito tempo que, mesmo que gravássemos um álbum de reggae, algumas pessoas ainda iriam chamá-lo de um álbum de Power metal. Um muito ruim inclusive. Então, eu não sei. Talvez nós deveríamos ter mudado o nosso nome ou algo assim. Mas mesmo assim eu tenho certeza que não ajudaria. Depois que você fica marcado, você está marcado para sempre.

Vicente – Você gravou grandes vídeos para “Shitload of Money” e “I Have a Right”. Conte-nos como foi a gravação desses vídeos?

TK: Filmamos três vídeos em dois dias. Para nós era uma questão de tocar as músicas constantemente. Portanto, é muito fácil. Todo o restante foi feito por outras pessoas. Por isso, foi fácil. As gravações foram feitas em uma escola abandonada em Kemi, Finlândia. Era muito frio lá, visto que era inverno, mas nós sobrevivemos.

Vicente – Quais são seus maiores objetivos para 2013?

TK: Sobreviver a essa turnê que temos feito. E então vem os festivais de verão. Se todas as coisas irem de acordo com o plano que temos no momento, nós vamos começar a gravar o novo álbum provavelmente no final de 2013. Isso é tudo o que pretendemos realizar este ano como uma banda. Deve ser suficiente.

Vicente – Em poucas palavras, o que você pensa sobre essas bandas:

 
Avantasia: Grande projeto do Tobias! Seria legal desempenhar um papel lá algum
dia.
Symfonia: banda/projeto do Timo Tolkki com Mikko Harkin. Sinceramente eu não estou
muito familiarizado com as suas coisas. Ele por algum motivo apenas escorregou através dos meus dedos. Ou ouvidos.

Pythia: Power metal do Reino Unido. Soa muito legal. Eles vão abrir para nós na parte do Reino Unido de nossa turnê. Ouvi apenas algumas faixas. Vai ser legal vê-los em ação.
Deep Purple: Eles são lendas, com algumas músicas realmente grandes de rock clássico. Eu cresci ouvindo tipos totalmente diferentes de música, então eu acabei por conhecê-los mais tarde. O que acabou fazendo com que o Purple não tenha desempenhado um papel realmente importante no meu mundo musical, ao menos no principio.

Nightwish: Amigos. Eu amo essa banda. Isso desde “Oceanborn”. Eles realmente cresceram para ser algo maior que a vida. Estou muito feliz por eles. Tuomas merece todas as coisas boas.

Vicente – Por fim, deixe uma mensagem para todos os brasileiros que curtem o som
do Sonata Arctica.

TK: Espero ver todos vocês de novo! Tenham certeza absoluta que sentimos sua falta. Este será outro destaque na nossa carreira, eu tenho certeza! Venham e façam muito barulho e gritem para a câmera que eu vou estar trazendo. Vamos criar algumas boas lembranças juntos. Até logo.

524334_10150797509252969_641276176_n