Outra banda que pode ser considerada clássica do rock brasileiro, com uma longa e prolifera carreira, excelentes discos lançados e shows por todo o país, nunca deixando a “peteca” cair em momento algum, mesmo nos tempos mais difíceis. Nesta entrevista o vocalista Tor Tauil dá uma geral na carreira da banda e no mais recente disco do Zumbis do Espaço, “Nós Viemos em Paz”, que vem colecionando criticas positivas Brasil afora. Entrem também no mundo dos Zumbis e aproveitem o que de melhor tem nosso país…

 

Vicente – Inicialmente fale um pouco sobre os 16 anos de carreira do Zumbis do Espaço. Como avalia a trajetória da banda?

Tor Tauil – Tem sido um período legal, passamos por varias situações diferentes e inusitadas, mas basicamente esse tempo passou rápido, no começo tudo era novo e praticamente desbravamos muitos caminhos, fomos aprendendo fazendo, porque muitas coisas ninguém tinha feito antes, hoje estamos numa boa fase com uma boa estrutura e fazendo bons discos e shows, acho que ainda temos disposição para mais uma ou duas décadas.

Vicente – A banda tem uma carreira prolifera, com uma dezena de discos lançados, algo não tão comum num cenário sempre complicado como o nosso. Qual seria o segredo?

Tor Tauil – Basicamente é arregaçar as mangas e fazer o trabalho pesado, porque nada vai cair do céu e ninguém vai fazer nada por você, então se você quiser ter suas músicas gravadas e seus discos lançados, não tem outro caminho a não ser você mesmo fazê–los. É claro que um pouco de talento também ajuda.


Vicente – Vocês acabam de lançar “Nos Viemos em Paz”. Como foi a gravação do disco?

Tor Tauil – Foi legal e apesar de gravarmos em 3 estúdios diferentes foi bastante tranquilo, pois como cada membro mora numa cidade diferente pudemos gravar perto de casa, e quando as bases estavam todas prontas gravamos os vocais, mixamos e finalizamos o disco com o produtor Joe Marshall, da banda “Bad Luck Gamblers”.

Vicente – E o retorno dos fãs, tem sido o esperado por vocês?

Tor Tauil – Sim, tem sido ótimo, acredito que estamos na melhor fase de nossa carreira.

Vicente – Qual foi à inspiração para as letras do disco, sempre um ponto importante no gênero?

Tor Tauil – Bem no começo da banda, foi basicamente os filmes  e quadrinhos de terror e todo o universo dos psicopatas e coisas do gênero.

Vicente – O estilo da banda é o Horror Punk/Rock, um gênero que muitas vezes parece ser subestimado, principalmente no Brasil. Qual acredita ser o motivo para essa reação?

Tor Tauil – Não nos consideramos Punks, nem subestimados, as temáticas de horror são um elemento importante no Zumbis do Espaço, mas eu classificaria o Zumbis como uma banda de Rock n”Roll pesada e insana, e pra falar a verdade não nos ligamos a rótulos, cenas ou movimento. Ou as bandas são boas ou não são. Não existe injustiça. Cada um tem o que merece.

Vicente – Uma das grandes inspirações do estilo sempre foi o cinema. Quais seriam os grandes destaques dessa arte para o Zumbis do Espaço?

Tor Tauil – Eu particularmente adoro os filmes de terror clássicos da Universal feitos entre os anos 30 e 40, também adoro os filmes de ficção cientifica dos anos 50 e os de exploitation, assim como os westerns e os de violência com enredo, das coisas mais novas pra mim os melhores são os filmes do Tarantino, Tim Burton, Robert Rodrigues e Rob Zombie, além dos sempre clássicos de John Waters e Russ Meyer, e obviamente do Mojica “ Zé do Caixão”.

Vicente – Há 13 anos atrás a banda sofreu um grande baque, que foi o falecimento do baixista El Phantasma. Como foi a reação na época ao saber da tragédia, e quais são as boas lembranças do tempo com ele?

Tor Tauil – Foi difícil. Ele era um cara bem legal e bem fácil de trabalhar e conviver, além de um excelente músico. Era um cara sério, honesto, conciliador e praticamente  a parte sensata da banda naquela época. Foi uma fatalidade, mas a vida é assim, viver é morrer, e fizemos o que ele desejaria que fizéssemos levamos a banda adiante e mantivemos seu legado vivo.

Vicente – Hoje em dia vivemos uma nova “realidade”, com os downloads e a consolidação do Brasil como uma rota (muito lucrativa, diga-se de passagem) para as bandas estrangeiras, mas com isso limitando o espaço destinado as bandas nacionais. Como você enxerga esse novo cenário nacional?

Tor Tauil – Na minha opinião o Download ilegal foi a pior coisa que aconteceu para as bandas independentes. A música se desvalorizou e o público passou a baixar tudo que vê e descartar no dia seguinte, formou uma geração preguiçosa e superficial, que não sai de casa e fica atrás de um computador o dia inteiro.  Resumindo eles tem tudo e não absorvem nada. Quanto aos shows internacionais, acho que eles não matam a cena não, ao contrário, obrigam você a se esforçar mais para soar tão bem ou até mesmo melhor que essas bandas. Quem reclama disso é porque não tem competência para se estabelecer.

Vicente – Quais são as suas maiores influências?

Tor Tauil – Dentro do Rock meu estilo preferido é o Heavy Metal, bandas como Black Sabbath e as da NWOBHM, são as minhas preferidas, além de Ramones, Motorhead, Thin Lizzy, Rockabilly e Country de raiz, Rock de garagem e Rock Clássico em geral, eu sou um consumidor e colecionador psicopata de música, mas no Zumbis as principais influências foram essas que eu te citei

Vicente – Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Zumbis do Espaço e apostam na música nacional

Tor Tauil – Obrigado pelo apoio através dos anos, e apóiem as bandas que fazem música própria indo aos shows e comprando seus discos. Existem bandas incríveis no Brasil, basta vocês irem atrás. Força e Saúde a todos!!!