Bandas como o Zorak trazem dois sentimentos opostos   quando a conhecemos: Alegria e tristeza: Alegria por conhecer uma grande banda e que executa um som poderoso, e tristeza por saber que os mesmos, como praticamente todas as bandas brasileiras, não possuem o reconhecimento merecido, um típico retrato do nosso país, que ainda existe esperança de um dia ser alterado. Bom, lamentações a parte, confira o que Jeff Fanali e Allan Korosue tem a falar sobre a trajetória da banda.

 

Vicente: O Zorak já tem 16 anos de existência. Qual a avaliação que fazem da trajetória até o presente momento?

Jeff Fanali (guitarrista): Difícil fazer uma avaliação da trajetória da banda quando não se tem espaço para trabalhar dentro de seu próprio país, o lado bom é que a amizade e o prazer de tocar nos mantém unidos, independente da parte financeira. Como não dependemos da música, tocamos unicamente pelo prazer.

Allan Korosue (baixista): Em todos esses anos, tivemos muitos bons momentos e quebramos o pau várias vezes também, começamos como todos, achando que seria possível viver apenas com a música, mas infelizmente a realidade é outra. Mesmo assim, creio que a amizade proporcionada pelos anos de convivência, a indescritível sensação de subir num palco e ver o público agitar com seu som são coisas que nos fazem ver que todos esses anos valeram à pena.

Vicente: De quem foi a ideia de batizar a banda com este nome? E existe alguma razão especial para Zorak?

Allan Korosue: A ideia foi minha. Todos da banda são fãs de desenhos animados, e na época havia começado um Talk Show do antigo herói Space Ghost, onde o vilão Zorak era o tecladista do programa. Como estava difícil de encontrarmos um nome, sugeri homenagear o personagem e assim batizamos a banda.

Jeff Fanali: Sempre existia alguma banda com o nome que gostávamos, então o Allan trouxe esta opção que foi bem recebida por todos.

Vicente: A banda soltou em 2009 seu primeiro disco, “Falling Down”. Como foi a gravação do mesmo, rolou tudo como esperavam?

Jeff Fanali: Na verdade acho que nunca rola como se espera, sempre muda muito do que se tem em mente, mas surpreendeu. Foi uma ótima experiência e contar com caras experientes como Pompeu, Heros e Alemão foi o que deu uma cara para o CD, as gravações foram demoradas, as composições também, mas foi algo muito gratificante e de certa forma motivo de orgulho para todos.

Allan Korosue: A gravação é uma fase da qual tenho saudades. Tivemos momentos de cansaço já que uma gravação é baseada em repetição até chegar próximo ao que se considera a perfeição, mas ao mesmo tempo muito divertido, passando por confrontos de Winning Eleven com o Pompeu nas horas vagas até jantares baseados em Black Dog’s… Com relação ao CD, particularmente eu curti o resultado final e só tenho a agradecer a todos que ajudaram nessa gravação.

Vicente: E o retorno do pessoal e a divulgação na mídia especializada, foi como vocês esperavam?

Jeff Fanali: Isso é complicado, pois a mídia é dirigida, com exceção de quem é independente, senão se paga e você tem uma matéria nos grandes meios de comunicação, implora ou ofereça vantagem e se tem um show, mas o que nos assustou, foi ver que no mundo todo existem pessoas baixando o CD do Zorak, e fazendo comentários positivos. Isso nos deu muita alegria e nos fez continuar por nós.

Allan Korosue: Com relação à divulgação, dividimos uma página com a banda After:Life que estava lançando um EP também, porém, não tivemos o retorno esperado. O retorno que tivemos foi por divulgação na web, porém, não se trata de retorno financeiro (esse nunca tivemos e nem temos pretensão de ter), e sim de reconhecimento por parte das pessoas que baixaram o CD. A grande verdade é que não há mais espaço para bandas de som próprio, nem na mídia especializada e nem em casas de show, onde só se vê bandas covers (nada contra bandas covers, eu tenho amigos em várias delas). Mesmo as bandas consideradas grandes hoje passam por dificuldades e falta de espaço, e com isso, sobra às bandas de som próprio o underground do underground.

Vicente: A música título “Falling Down” é aquela perfeita para iniciar um show. Como foi a composição dessa música em particular?

Jeff Fanali: Nossa ideia sempre foi essa, ela ser a primeira música. Já havíamos feito outras versões de Falling Down, até com outros nomes, mas mudamos muito até chegar neste resultado, e como a ideia era ser a música de abertura tanto para shows como para o CD, tínhamos que compor algo que fosse veloz, agressivo e com refrão marcante, então o resultado foi esse.

Allan Korosue: Dessa música me lembro do meu filho com 4 anos de idade cantando o refrão e isso foi do caralho!

Vicente: Quais seriam as músicas que indicaria para quem gostaria de conhecer o trabalho do Zorak?

Allan Korosue: Eu recomendo Greed and Religion, Liquid Eyes, Hopeless e a já comentada Falling Down.

Jeff Fanali: Além das citadas pelo Allan, eu tenho uma queda por Like Me.

 

Vicente: Já possuem algumas músicas novas prontas, quem sabe um novo álbum a caminho?

Jeff Fanali: Estamos começando a compor, temos uma letra que precisa ser lapidada e alguns arranjos.

Allan Korosue: A ideia no momento é aproveitar o equipamento que o vocal Cris Ferreira adquiriu recentemente e gravar lá no mini estúdio que ele montou. Ainda estamos sem previsão, mas creio que para o ano que vem teremos novidades.

Vicente: Quais são as suas maiores influências?

Jeff Fanali: Iron Maiden, Judas Priest, Dream Theater, Queensrÿche, Ozzy Osbourne, Van Halen, etc…

Allan Korosue: Além das citadas pelo Jeff, acrescentaria Helloween, Rush, Sevendust, Dave Matthews Band, Mr. Big, etc…

Vicente: Muito se fala sobre os diversos problemas da cena Metal no Brasil. Qual avaliação que vocês fazem da mesma, visto o longo tempo que a banda já tem de estrada? Acreditam que ela melhorou, piorou ou está estagnada?

Jeff Fanali: Acho que piorou. O Heavy Metal sempre foi fechado, e agora está ainda mais por conta da cultura de nosso país e da grande mídia que não investe em nosso estilo, mas o cara que curte e tem cultura continua ligado, mas isso vem diminuindo.

Allan Korosue: A cena Metal no Brasil piorou e muito. Como citei acima, falta espaço para bandas consideradas grandes e para as menores sobra o underground do underground. Sinceramente falando, eu até acho que em certas partes, aquela polêmica entrevista do Edu Falaschi tem fundamento. Tem muita gente que paga uma fortuna num ingresso para ver uma atração internacional, mas que não paga R$ 10,00 para ver uma banda nacional. Às vezes, até conversando com amigos meus que curtem Metal, sinto certo preconceito com as bandas nacionais. Obviamente não devemos generalizar, tem pessoas que acreditam ainda no movimento, porém, vejo cada vez menos isso acontecer.

Vicente: Em poucas palavras, o que acham das seguintes bandas:

Hangar: Uma boa banda que vem conseguindo destaque mesmo com as adversidades do cenário metal brasileiro

Judas Priest: Um dos pais do Metal

Primal Fear: Energia e um CD novo muito bom

Helloween: Um icone do Metal Melódico

Iron Maiden: A maior banda do mundo

 

Vicente: Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Zorak e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Metal nacional.

Jeff Fanali: Obrigado a todos os que postam, comentam, estão conosco, que participaram de nossas vidas, e para aqueles que querem nos conhecer e ao nosso trabalho, vão em frente, pois o que fizemos e fazemos é de coração, com prazer e isso faz a diferença, nos chamem para tocar que iremos onde quer que seja.

Allan Korosue: Só temos a agradecer a todos que sempre estiveram conosco e para aqueles que não nos conhecem, entrem em http://www.zorak.com.br, ouçam o CD (é possível ouvi-lo inteiro no site). Se colocarem no Google: “Zorak Falling Down” vão encontrar um monte de sites para baixar o CD (não é um incentivo à pirataria e sim um incentivo para todos ouvirem o som), além do site Jamendo onde deixamos o CD para baixar (http://www.jamendo.com/en/artist/350391/zorak). Quem quiser nos ajudar também pode comprar o CD pelo site que enviamos pelo correio. E um muito obrigado ao Vicente do blog witheverytearadream.wordpress.com pela oportunidade!