Tags

, , , ,

Banda

Paura

Local

São Paulo

Gênero

Hardcore/Metal

Ano de Formação

1995

 

Hardcore, Crossover, Metal. Não importa a maneira que desejam classificar o som do Paura, mas sim a qualidade do mesmo, que a banda já apresenta Brasil afora, inclusive no exterior, há 17 anos. Aproveitei para conversar com Fábio Prandini, vocalista da banda, o que originou uma entrevista bem interessante. Completam o Paura Rogério Rodontaro (Guitarra), Caio Lubliner (Guitarra), Danilo Fratangelo (Baixo) e Fernando Schaefer (Bateria).

 

Vicente – Com dezessete anos de existência, como vocês avaliam a trajetória do Paura até este momento?

Fabio Prandini – Uma trajetória de conquistas acima das dificuldades. O controle de tudo na banda nunca fugiu das nossas mãos e estamos ai até hoje, renovados e fortalecidos.

Vicente – Vocês lançaram seu terceiro (na verdade o quinto) disco completo “History Bleeds” em 2010. Como foi a gravação do disco, o resultado agradou plenamente a banda?

Fabio Prandini – Na verdade, o “History Bleeds” é nosso quinto álbum completo, e foi tranquilo gravá-lo. A formação estava estabilizada, gravamos no estúdio do Henrique (ex-batera), onde estávamos habituados, e tivemos as participações dos nossos amigos Leandro (Grind House Hotel), Paulito (Clearview) e Helinho (Jeffrey Dahmer). Foi muito “classe”. E o resultado ficou dentro da nossa expectativa.

Vicente – E a resposta do pessoal foi a imaginada por vocês?

Fabio Prandini – Cara, é difícil tentar imaginar o que o pessoal vai achar, sempre que lançamos algo. A gente faz pra nós mesmos. Se gostamos, imaginamos que o pessoal pode vir a curtir também, mas é difícil imaginar a resposta do pessoal. Felizmente, parece que temos acertado a mão. Isso nos deixa orgulhosos.

Vicente – E o EP “Integrity Dept.”?

Fabio Prandini – São 4 musicas inéditas que estávamos compondo antes da troca de baterista, no fim de 2011. Com a entrada do Fernando, terminamos os sons e resolvemos lança-los em um EP para ser o cartão-de-visitas dessa nova fase. Nesse meio tempo, o Junior (White Frogs) da Definite Choice Recs nos fez uma proposta pra lançar o EP em vinil. O Alexandre da Fuck It All Recs também entrou no projeto e tudo deu certo. Em setembro, voltando da turnê européia, faremos a festa de lançamento no Outs, em São Paulo, dia 23.

Vicente – Qual a principal diferença do som dele para seus discos anteriores?

Fabio Prandini – Acho que está mais hardcore e menos Metal. Mas a mistura das duas escolas está sempre lá. Acho que está mais simples. E com mais groove. Menos Slayer e mais Biohazard (risos).

Vicente – Vocês acabam de soltar o vídeo para a música “Worthless Progress”. Como foi gravação desse clipe, e porque esta música foi à escolhida?

Fabio Prandini – Foi muito legal. O Pablo Toledo (ex-guitarrista do Paura), fez a proposta e aceitamos na hora. Ele dirigiu junto com o Raphael Merenda. Outro amigo de talento, Senir Elias, editou tudo. Tudo DIY. E o resultado, na minha opinião, é sensacional. Ainda mais por termos trabalhado com amigos, que entendem a proposta do Paura e são profissionais de alto nível em sua área. Isso é foda!!!

Vicente – O som do Paura é em sua essência o Hardcore, mas se ouvem muitas influências de Metal também. Está é a proposta desde o inicio da banda? E para quem não conhece ainda, como vocês definiriam o som do Paura?

Fabio Prandini – Sim. Isso é a essência do nosso som desde o começo. Não gosto de rotular música, mas se for definir o som do Paura, pode-se dizer que é uma mistura do peso do Metal com a agressividade do hardcore.

Vicente – Como avalia o cenário para as bandas nacionais nesse momento? Há mais espaço para divulgação e realização de shows, ou não houve nenhuma mudança substancial nesse sentido?

Fabio Prandini – Há espaço pra todo mundo. Acho que desenvolveu bastante, mas ainda há muitas coisas que poderiam ser melhores. Mas tem muita gente boa, integra, envolvida no circuito e isso tem trazido, com qualidade, uma solidez, uma confiança, que é muito importante pra todos os envolvidos: bandas, promotores, selos, publicações e, principalmente, público.

Vicente – Quais são as suas principais influências?

Fabio Prandini – Tem muitas bandas que nos inspiram, mas pra sintetizar seriam: Sick Of It All, Slayer, Sepultura, Metallica e Bad Brains.

Vicente – Em poucas palavras, o que acham das seguintes bandas:

Biohazard: os reis do combo peso x groove em doses cavalares;

Sick of it All: a melhor banda do mundo! Os mestres!!!

Ratos de Porão: a melhor banda do Brasil hoje. A mais importante da história (junto com o Sepultura);

Madball: uma das preferidas aqui. O Freddy é sinônimo de Hardcore.

Exodus: na minha humilde opinião, é a banda que lançou o melhor disco de Thrash Metal da história, “Bonded By Blood”. Banda do coração desde sempre.

Vicente – Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Paura e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Rock nacional.

Fabio Prandini – Obrigado a todos que leram a entrevista até aqui e se quiser saber mais sobre o que estamos fazendo, ou conhecer melhor nosso trabalho, é só acessar nossas páginas na internet:

http://www.facebook.com/paura3rdworld

http://www.reverbnation.com/paura3rdworld

http://paura.bandcamp.com/

Muito obrigado pela oportunidade e força com o trampo, Vicente! Obrigado sempre a nossos velhos e novos amigos!

Apóiem suas bandas locais, pois são elas que fazem as coisas acontecerem na sua cidade. Quem é verdadeiro não vive fase de roqueiro. Façam o que gostam e VOTEM NULO!

Nos vemos nos shows!