Tags

, , ,

 

Banda

Labore Lunae

Local

Mato Grosso do Sul

Gênero

Doom/Death Metal

Ano de Formação

2002

  

Complementando a postagem anterior, trago a entrevista feita com o Raphael, Vocalista da Banda. Completam o Labore Lunae Caio (Baixista), Marçal (Guitarra), Felipe (Guitarra) e Monte (Bateria). Confiram o que uma das mais antigas e batalhadora banda de Metal do Mato Grosso do Sul tem a dizer. Com vocês, Labore Lunae…

Vicente: Após 10 anos do Labore Lunae, como vocês vêem a trajetória da banda até este momento?

Raphael: A banda foi formada com o intuito de tocar um tipo de som que sempre gostamos, mas que nenhuma banda fazia na região. Dessa forma a banda se originou como um projeto longe de pretensões profissionais. Após a pausa que a banda deu em 2002, as mudanças na formação e nossa consolidação, acreditamos que seja o momento de levar mais a sério, buscar produção e divulgação mais profissionais, fazer nosso trabalho ter maior alcance e reconhecimento. Resumindo, os 10 anos foram ótimos, muitos shows na região, vários projetos, muita loucura e diversão… Agora é hora de darmos o próximo passo.

Vicente: Qual o significado do nome?

Raphael: Adotamos o nome Labore Lunae como referencia ao “trabalho da lua”, a influência que o satélite exerce nas marés, na agricultura e, embora não comprovado cientificamente, alguns acreditam que o comportamento humano também possa sofrer alterações. Nesse raciocínio, acreditamos que a música que fazemos pode, de alguma forma, atingir e transmitir sentimentos e ideias. Ou seja, há uma essência que transborda os sons e as melodias e é apreendida subjetivamente. Além disso, o termo, em latim, também significa eclipse lunar.

Vicente: Como está a gravação do seu primeiro disco?

Raphael: Estamos em processo final de gravação, ainda temos que fazer todo o trabalho de edição, mixagem, masterização, etc. Se tudo correr bem, até o fim do ano o disco estará pronto.

Vicente: Vocês também participaram da coletânea “MS Metal” e lançaram “Devaneios”. Conte-nos um pouco sobre cada uma deles.

Raphael: MS Metal foi um projeto ocorrido em 2004 aprovado pelo FIC, no qual algumas das bandas de metal de maior evidencia em Mato Grosso do Sul foram convidadas a gravar duas faixas. As gravações ficaram ótimas, o álbum chegou a ficar pronto, mas por algum motivo que desconheço nunca chegou a ser lançado… “Devaneios” veio da necessidade de divulgar nosso trabalho, entramos em estúdio e gravamos 3 faixas ao vivo, tudo feito propositalmente rústico, sem interferência de estúdio, como se fosse um show mesmo. Esse CD Demo teve ótima aceitação e foi amplamente divulgado em cópias físicas, agora está disponível para download juntamente com as faixas da MS Metal.

Vicente: O som do Labore Lunae é um Death/Doom Metal extremamente pesado, mas que não deixa de lado as melodias. Quais são as suas principais influencias no estilo referido?

Raphael: Nossas influencias são bem amplas, ouvimos tudo de metal, bastante rock clássico e blues. Mas diria que as mais influentes em nosso trabalho são Black Sabbath, My Dying Bride, Death, Katatonia, Paradise Lost, Candlemass, Imago Mortis, Amorphis, Bethlehem, Amen Corner, Morbid Angel, Rotting Christ, Crematory, Genocidio e Incantation.

Vicente: As letras da banda são em português, algo não tão comum em bandas do estilo. Acreditam que assim a mensagem é mais bem compreendida pelo público?

Raphael: Com certeza, isso ajuda bastante a interpretação correta das letras, ao mesmo tempo em que valoriza a língua portuguesa, propiciando identidade cultural. Acima de tudo nossa língua mãe é extremamente poética e melodiosa e queríamos aproveitar isso em nossas composições.

Vicente: Vocês fazem parte da “União Doom Metal Brasil”. Como se deu o convite e o que acham da iniciativa?

Raphael: Fomos convidados pelo amigo Vicente de Albuquerque Maranhão, que conhece nosso trabalho há vários anos, para somarmos força ao grupo. A ideia da União Doom Metal Brasil já se concretizou, a primeira coletânea está lançada, shows estão acontecendo, é muito gratificante fazer parte de uma iniciativa que realmente se desenvolve. Já vimos várias tentativas similares fracassando, mas essa, devido ao empenho dos idealizadores e dos participantes, já está solida. O endereço da união na web é http://www.uniaodoom.com.br/ .

Vicente: Como avalia o cenário para as bandas nacionais nesse momento? Há mais espaço para divulgação e realização de shows, ou não houve nenhuma mudança substancial nesse sentido?

Raphael: Acho que estamos em um momento muito legal para as bandas nacionais, vejo o underground cada vez mais forte, várias bandas antes desconhecidas estão aparecendo, e são ótimas bandas, com muita qualidade, vários selos novos fazendo lançamentos, é um ótimo momento do underground nacional, as coisas vão amadurecer e melhorar ainda mais. Acredito que os shows estão ocorrendo com mais frequência do que há alguns anos atrás, o publico é maior. Acho que o acesso ao underground por meio da internet facilitou bastante na formação desse novo publico que muitas vezes esteve isolado.

Vicente: Em poucas palavras, o que acham das seguintes bandas:

My Dying Bride: F-u-d-i-d-a! Com certeza uma das melhores bandas que já ouvi! Os caras são geniais, é só ouvir “Turn Loose the Swans” e “The Angel and the Dark River” para saber do que estou falando.

Paradise Lost: Icônica (risos), uma de nossas grandes influências, os álbuns que mais ouço são Gothic, Lost Paradise e Draconian Times.

Imago Mortis: Uma das maiores bandas do Brasil! Os caras foram progredindo muito musicalmente. Todos os discos são ótimos, os que mais gosto são “Image from the Shady Gallery”, “Vida” e “Transcedental”.

Draconian: Uma boa banda, apesar de não ser um grande fã reconheço a qualidade musical e sua importância para o estilo. Gosto da Demo “Shades Of a Lost Moon”, e dos álbuns “Arcane Rain Fell” e “A Rose for Apocalise”.

Morbid Angel: Não tem como um fã de Death Metal não gostar dessa banda! “Fatal to the Flesh” é uma obra prima, “Altars of Madness”, “Covenant”, “Domination”, difícil escolher o melhor álbum. “Blessed are the Sick” é o que mais ouvi deles, acho que tem até umas levadas meio “Doom” nesse álbum.

Vicente: Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Labore Lunae e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Metal nacional.

Raphael: Já estamos novamente prontos pra tocar ao vivo, a formação está completa, temos novas musicas compostas e em breve lançaremos mais material. Para quem não conhece nosso trabalho convido a acessar nossa página no Facebook http://www.facebook.com/LaboreLunae lá vocês encontrarão vídeos de shows e mais informações, além disso, nosso material com as letras está disponível para download aqui no blog. Nosso email para contato é laborelunae@gmail.com. Nosso negócio é fazer musica extrema, sem compromisso com rótulos, fazer o que gostamos sem limitações, nossa ideologia é liberdade! Agradecemos a todos que tem nos apoiado durante nossa trajetória, é muito bom ver nosso trabalho sendo compreendido e valorizado.

Muito obrigado pelo espaço que está dando ao Labore Lunae e a várias bandas nacionais Vicente, é desse tipo de atitude que o metal nacional precisa para crescer!

Raphael e Labore Lunae.