Entrevista com a Banda Distraught (Rio Grande do Sul)

Distraught em Alta nos Andes

Mais uma banda que faz parte da história do Metal no Rio Grande do Sul e de todo o Brasil. Com uma trajetória de grandes discos e igualmente grandiosas apresentações pais afora, a Distraught continua sua luta hoje em dia com seu novo disco, o ótimo “The Human Negligence is Repugnant”, mostrando que o presente é tão bom ou importante quanto o passado da banda. Para falar um pouco mais sobre o novo disco conversei com o vocalista fundador André Meyer, que fala sobre toda a carreira da banda e sobre o cenário musical nacional. Ao final da entrevista encontra-se o link para o grande vídeo feito para a música “Justice Done by Betrayers”. Confiram…

 

Vicente – É até difícil comentar duas décadas a serviço do Metal em poucas linhas, mas como você vê a trajetória do Distraught até este momento?

 André: Vejo crescendo a cada dia, CDs, show etc. São quase 23 anos dedicados a nos superar cada vez mais. A resposta de tudo isso é dedicação e respeito com o público, bandas, apoiadores do meio artístico…Acho que nossa experiência nos favorece a acertar cada vez mais em nossos projetos.

Vicente – E os planos da banda para 2013?

André: Iniciamos o ano com nosso novo videoclipe para a música “Justice done by Betrayers” e o resultado está sendo bem satisfatório, as pessoas estão gostando muito e novos fãs surgindo, estamos aguardando algumas respostas para uma turnê esse ano, mas ainda em off. Pela Argentina também pretendemos fazer uma nova turnê.

Vicente – O Distraught lançou ano passado seu quinto disco de estúdio “The Human Negligence is Repugnant”. Como foi a gravação e a composição do álbum?

André: O Ricardo sempre tem alguns riffs guardados, então achamos que era hora de lançar nosso próximo CD, trabalhamos fazendo nossa pré produção em casa, gravando tudo que tínhamos, então vou fazendo as letras e encaixando nos riffs. Depois gostamos de tocar no ensaio pra sentir melhor como ela está soando. Sempre quando estamos compondo nos preocupamos de que maneira nossa música será recebida nos ouvidos de quem vai escutá-la, como nessa ou naquela parte a galera vai reagir no show, bons refrões é super importante também. Quando tudo isso ficou pronto, fomos procurar um estúdio. Gravamos no Navarro em Canoas, que foi onde achamos os equipamentos que precisávamos para ter uma ótima captação, depois como no álbum anterior mixamos no estúdio dos caras do Korzus com o Heros Trech, visto que já tínhamos gostado do resultado no CD anterior.

Vicente – E o retorno do pessoal, tem sido o imaginado por vocês?

André: Esse álbum é reflexo do “Unnatural Display Of Art”, porém ainda mais maduro, e o resultado está bem satisfatório até o momento. Cremos que muitos frutos futuros virão devido a esse lançamento.

340975Vicente – Como surgiu a ideia para a capa do mesmo, pois ela ficou muito legal, uma grande arte e sem dúvida impactante.

André: Marcelo Vasco é o responsável, dessa e da outra capa. Nós sempre passamos a ideia pra ele, enviamos as letras e ele dá uma viajada naquilo que acha que pode ficar legal, mostra algo pra gente, nós fizemos alguns ajustes e pronto. O impactante como tu falou é necessário também, porque é o cartão de visita para que comprem o CD, amor ou ódio a primeira vista (risos).

Vicente – Outro fato marcante é o forte titulo do disco. Qual é o principal significado por trás de “The Human Negligence is Repugnant”?

André – Esse título resume tudo que sentimos de desprezo neste mundo cada vez mais difícil de se viver, problemas que encontramos em todos os lugares do mundo, leis que não se cumprem, criminalidade, miséria, guerras, políticos corruptos etc.

Vicente – Vocês também fizeram um vídeo para a ótima “Justice Done By Betrayers”. Conte-nos um pouco como foi a gravação do clipe e o por que da escolha desta música?

André – Conhecemos o Lucas, um grande profissional que se entregou de corpo e alma quando falamos o que queríamos fazer, ele foi responsável pelo belo trabalho.

Optamos por essa música por ter um refrão muito forte, como a letra em si também é forte e rica em termos de ideias para criar um roteiro. Escolhemos um dos prédios mais altos de Porto Alegre para poder botar pra fora o que temos para dizer, como um ato de protesto de tantas coisas que a “JUSTIÇA” não resolve.

Vicente – O som do Distraught é um Thrash Metal extremamente pesado, mas ao mesmo tempo as músicas possuem uma técnica apurada. No fim fica fácil reconhecer o som do Distraught, algo que poucas bandas conseguem nos dias de hoje, que é não soarem como meras cópias de bandas famosas, você concorda?

André: Então você captou o que estamos buscando, é difícil uma banda não parecer com algum elemento de outra, mas é importante que tu escute um nova música dessa banda e logo identifique quem está tocando.

Vicente – Quais são as suas maiores influências?

André: São muitas, desde bandas do nosso estilo como Slayer, Exodus, Testament, Kreator, Destruction como rock em geral, às vezes as inspirações surgem quando estou escutando um som muito diferente do que tocamos, mas no geral procuramos até nem escutar nada quando estamos compondo.

 

Vicente – Hoje em dia o Brasil é um ótimo roteiro para as bandas de fora tocarem, uma rota muito lucrativa, diga-se de passagem. Mas como vocês vêem o cenário no nosso país nesse momento para as bandas nacionais. Acreditam que piorou ou houve uma pequena melhora na divulgação e espaço para shows?

André – Acho que piorou, hoje o Brasil tem muita opção de shows internacionais e o brasileiro ainda prefere apoiar o que está lá fora, isso tira o lugar de bandas do nosso Pais. Acho que a mentalidade da galera deveria mudar nesse sentido, temos ótimas bandas aqui que não perdem nada para as gringas.

Vicente – Em poucas palavras, o que acham das seguintes bandas:

Megadeth: Uma grande banda, satisfação a Distraught ter sido a escolhida para fazer a abertura em 2010 em Porto Alegre.

Vader: Talvez a melhor banda de Death Metal da Polônia, para mim a melhor.

Destruction: Esses caras tem uma pegada muito forte, grande banda também.

Panic: O primeiro show da Distraught foi com a Panic, não tem como não ser importante na nossa história.

Tankard: Esses caras são divertidos, Thrash Metal simples, mas que os Europeus respeitam muito.

Vicente – Uma mensagem para os fãs e amigos que curtem o trabalho do Distraught e para aqueles que gostariam de conhecer melhor seu som e apostam no Metal nacional.  

André: Agradeço o espaço cedido e dizer o que sempre falo, apóiem aquilo que temos em nosso Brasil, as bandas dão o sangue e muitas desistem por falta de apoio. Para conhecer a Distraught entrem no site: www.distraught.com.br

Video “Justice Done By Betrayers”: http://www.youtube.com/watch?v=29vdsBGKAmQ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: